Busca avançada
Ano de início
Entree

Moderno sob encomenda (1940-1960)

Processo: 18/19887-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de outubro de 2019 - 30 de setembro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Arquitetura e Urbanismo - Fundamentos de Arquitetura e Urbanismo
Pesquisador responsável:Joana Mello de Carvalho e Silva
Beneficiário:Joana Mello de Carvalho e Silva
Instituição-sede: Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):20/01470-4 - Moderno sob encomenda: mapeamento das residências unifamiliares construídas nos bairros jardim das bandeiras, Sumaré, alto da Lapa, Boaçava e alto de Pinheiros, BP.TT
Assunto(s):Metropolização  Arquitetura moderna  Gênero 

Resumo

A pesquisa visa contribuir para a análise da disseminação da arquitetura moderna canônica no Brasil entre as décadas de 1940 e 1960 e a sua assimilação pela clientela particular em São Paulo. Essa disseminação e aceitação coincide com o processo de metropolização da cidade, caracterizado pela verticalização das áreas centrais e expansão horizontal da mancha urbana. Por isso, parte-se do levantamento de residências construídas no período nos bairros de classe média do vetor sudoeste, em especial o Jardim das Bandeiras, Sumaré, Alto da Lapa, Boaçava e Alto de Pinheiros, cotejando-o com as obras publicadas nos periódicos especializados de arquitetura, em jornais e revistas de variedade e decoração. A intenção é investigar quem aderiu as proposições modernas canônicas, como e por que elas foram assimiladas, buscando-se compreender as transformações e os sentidos que tais proposições assumiram por este público. Ademais, apesar de reconhecer que houve uma coincidência entre estas proposições, a afirmação de novos ideais de domesticidade, sociabilidade e feminilidade no período, elas não foram as únicas a dialogar com o processo de modernização em curso, havendo outras linguagens em disputa que variaram das vertentes eruditas do moderno à linguagem vernácula do neocolonial simplificado, cujos agentes e motivações de escolha também interessam à pesquisa. (AU)