Busca avançada
Ano de início
Entree

Resposta de cordeiros confinados recebendo melaço de soja em diferentes inclusões em dietas alto concentrado

Processo: 19/07126-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de setembro de 2019 - 31 de agosto de 2021
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Nutrição e Alimentação Animal
Pesquisador responsável:Jane Maria Bertocco Ezequiel
Beneficiário:Jane Maria Bertocco Ezequiel
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal , SP, Brasil
Pesq. associados: Hugh Blair ; Josimari Regina Paschoaloto ; Marco Túlio Costa Almeida
Assunto(s):Metabolismo  Confinamento 

Resumo

O melaço de soja (MSO) é um subproduto da produção do concentrado proteico (farelo de soja). O MSO possui altas concentrações de açúcares e alto potencial de uso na alimentação de ruminantes. Para avaliar a inclusão de MSO na dieta de cordeiros confinados serão realizados dois experimentos, sendo o primeiro de desempenho em confinamento, em que serão utilizados 40 cordeiros Dorper × Santa Inês, distribuídos em um delineamento de blocos casualizados, perfazendo 4 dietas experimentais, sendo a inclusão de 0, 100, 200 ou 300 g MS de MSO por kg da dieta total. As dietas terão teores semelhantes de energia e proteína, e a relação volumoso:concentrado será de 20:80. No experimento 1 serão avaliados o consumo MS e nutrientes, o comportamento ingestivo, a saúde ruminal e os parâmetros qualitativos de carne e quantitativos de carcaça. O segundo experimento será de avaliação dos parâmetros ruminais in vitro, sendo utilizados três carneiros providos de cânula permanente no rúmen como doadores de inóculo. Serão avaliados a digestibilidade da MS e nutrientes em aparelho Daisy IncubatorII da Ankon®, a produção e qualidade dos gases de efeito estufa, o desaparecimento da MS e nutrientes, a concentração de N-NH3 e AGCC, e pH da incubação. Os parâmetros ruminais serão avaliados no momento da incubação (0 hora), e após 2, 4, 8, 12 e 24 horas de incubação, em 3 incubações. Os dados do experimento 2 serão avaliados como um delineamento em blocos casualizados, com medida repetida no tempo, sendo 8 repetições por tratamento por horário, e cada incubação considerada um bloco. A análise dos dados será pelo programa estatístico SAS. Nossa hipótese é de que a substituição do grão de milho por MSO irá melhorar o desempenho, as características de carcaça, o comportamento ingestivo, a saúde ruminal, e melhorar a digestibilidade in vitro da MS e nutrientes, reduzindo assim a produção de gases de efeito estufa. Sendo assim, o objetivo deste trabalho será avaliar os efeitos da inclusão crescente do MSO na dieta de cordeiros confinados, sobre o desempenho de ganho peso, características quantitativas da carcaça e qualitativas da carne, digestibilidade da MS e nutrientes e parâmetros ruminais in vitro. (AU)