Busca avançada
Ano de início
Entree

Emprego da cavitação hidrodinâmica para degradação de cafeína em água

Processo: 19/12166-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de setembro de 2019 - 31 de agosto de 2021
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Civil - Engenharia Hidráulica
Pesquisador responsável:José Gilberto Dalfré Filho
Beneficiário:José Gilberto Dalfré Filho
Instituição-sede: Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo (FEC). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Pesq. associados:Ana Inés Borri Genovez
Assunto(s):Tratamento de águas residuárias  Saneamento  Degradação de contaminantes  Cafeína  Cavitação  Estudos experimentais 

Resumo

Um grande desafio para os gestores de empresas de saneamento é garantir o acesso à água de qualidade para a população. Há, mais recentemente, grandes adversidades. Estudos evidenciam a presença, cada vez mais marcante, de contaminantes que não são degradados pelo tratamento tradicional da água para o consumo, como é o caso da cafeína. A princípio, esta substância pode não ser nociva para o ser humano, mas a sua presença é um indicativo útil para existência de outros contaminantes. Neste sentido, uma das técnicas alternativas ao tratamento de água convencional, explorada em diversas pesquisas, é a cavitação. A cavitação ocorre quando a pressão de um líquido decresce até a pressão de vapor, quando bolhas são formadas. Se, então, a pressão do líquido aumenta, as bolhas implodem, propagando ondas de alta velocidade e micro jatos. Durante este fenômeno, há a geração de radicais livres, altamente reativos, que, aliados à turbulência gerada, podem proporcionar as condições para a decomposição de certas substâncias indesejadas na água. Assim, o objetivo desta pesquisa é verificar a eficiência de um equipamento tipo jato cavitante para degradar a cafeína em água. (AU)