Busca avançada
Ano de início
Entree

Enfrentando problemas de física de hádrons com teorias de campos efetivas

Processo: 19/17149-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de novembro de 2019 - 31 de outubro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Física - Física das Partículas Elementares e Campos
Pesquisador responsável:Alberto Martinez Torres
Beneficiário:Alberto Martinez Torres
Instituição-sede: Instituto de Física (IF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Física de hádrons  Teorias efetivas 

Resumo

O caráter não perturbativo da QCD na região de energias baixas e médias faz que o uso de teorias efetivas para estudar a interação entre hádrons seja cada vez mais relevante. Neste caso, Lagrangianas que implementan as simetrias relevantes para o sistema em questão em conjunto com as equações de Bethe-Salpeter (interação entre dois hádrons) o de Faddeev (sistemas de três hádrons) são usadas para obter a matriz T de colisão implementando assim a unitariedade em canais acoplados. Uma vez obtida T, diferentes observáveis podem ser calculados, como seções de choque, scattering length, larguras de decaimento, distribuição de massa invariante, etc. Deste jeito, pretendemos estudar estados de propriedades exóticas que estão sendo estudados experimentalmente em Belle, BES, J-PARC, etc., como, por exemplo, estados Zc , ou estados identificados como X , Y , etc. Todos eles parecem ter uma natureza diferente da esperado no modelo de quark. O nosso estudo servirá para esclarecer as propriedades e natureza desses estados, podendo calcular seções de choque e outros observáveis e comparar com os dados experimentais. A generalização do método a volume finito permite também a possibilidade de comparar com os resultados de QCD na rede para esses sistemas, e até pode server como uma ferramenta para guiar os estudos de QCD na rede para estes hádrons com propriedades exóticas. (AU)