Busca avançada
Ano de início
Entree

Ensaios de RNA Scope para enzimas da via de síntese de catecolaminas

Processo: 19/16981-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisador Visitante - Internacional
Vigência: 07 de setembro de 2019 - 21 de setembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Clínica
Pesquisador responsável:Gilberto de Nucci
Beneficiário:Gilberto de Nucci
Pesquisador visitante: Frederic Gervais
Inst. do pesquisador visitante: CiToxLAB - Safety and Health Research, França
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Endotélio  Catecolaminas  Dopamina  Imuno-histoquímica  Intercâmbio de pesquisadores 

Resumo

O endotélio é um órgão capaz de regular tônus vascular através da liberação de agentes relaxantes (óxido nítrico e prostaciclina - PGI2) ou contráteis (endotelina - ET1 e prostanóide - PGH2). Além disso, o conceito fisiológico atual propõe que tal regulação também pode ocorrer através da liberação de catecolaminas de origem exclusivamente neural. Nosso grupo demonstrou em tecidos isolados de répteis que o endotélio também é fonte de catecolaminas, visto que a contração da aorta induzida por estimulação por campo elétrico é abolida por antagonistas adrenérgicos e por remoção do endotélio. Essa observação foi confirmada através da identificação da enzima tirosina hidroxilase no endotélio de tecido humano e de serpentes através de imunohistoquímica. Conforme descrito no projeto, o papel fisiológico e fisiopatológicos das catecolaminas endotelias em humanos está sendo avaliado através de uma abordagem farmacológica in vitro, utilizando artérias e veias humanas, e uma abordagem farmacológica in vivo, através de ensaios clínicos. O objetivo dessa solicitação de auxílio visa embasar as observações obtidas nos ensaios farmacológicos in vitro e in vivo com um substrato morfológico, através da identificação e possível quantificação da via metabólica de catecolaminas através de imunohistoquímica e através de ensaio de hibridização in situ por RNA (do inglês, RNA-ISH, RNA in situ hybridization) com a tecnologia RNA Scope®. Importante ressaltar que essa abordagem morfológica poderá ser expandida para investigação também em modelos experimentais de animais de laboratório. Espera-se que o conjunto das informações obtidas demonstrará a relevância fisiológica e fisiopatológica das catecolaminas endoteliais em humanos e dimensionará sua importância em relação ao controle adrenérgico neural. (AU)