Busca avançada
Ano de início
Entree

Splicing alternativo em transcritos de HSP como um mecanismo de adaptação celular em Trichophyton rubrum

Processo: 19/21888-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de novembro de 2019 - 30 de abril de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Molecular e de Microorganismos
Pesquisador responsável:Nilce Maria Martinez-Rossi
Beneficiário:Nilce Maria Martinez-Rossi
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/03847-7 - Caracterização molecular de mecanismos envolvidos na patogenicidade e sinalização celular em fungos, AP.TEM
Assunto(s):Trichophyton rubrum 

Resumo

As proteínas de choque térmico (HSPs) estão envolvidas em processos críticos como invasão do tecido hospedeiro, resistência e patogenicidade em dermatófitos. A análise de RNA-Seq do Trichophyton rubrum exposto ao ácido undecanóico (UDA) revelou eventos de retenção de íntrons nos transcritos de HSP. Como os HSPs são modulados em resposta a vários estímulos e como o processamento alternativo (EA) pode resultar em uma ampla diversidade no proteoma das células eucarióticas, nosso objetivo foi confirmar os eventos de retenção mencionados, investigando suas conseqüências e extensão. Além disso, buscamos determinar: (1) o perfil de expressão dos genes HSP em um cenário de infecção e (2) a importância da Hsp90 para o potencial queratinolítico de T. rubrum. As análises de RT e qPCR comparando a exposição a UDA e terbinafina (TRB) confirmaram a presença de duas isoformas de mRNA do gene tipo hsp7, com padrões de expressão distintos em resposta a UDA e TRB. O perfil de expressão do HSP revelou dois transcritos com regulação positiva, três com regulação negativa e quatro sem modulação; A inibição da Hsp90 pela 17-AAG resultou em uma diminuição significativa no potencial queratinolítico a 37 ° C. No total, esses resultados ampliam o conhecimento atual sobre a importância das vias mediadas pelo HSP para a adaptação celular e outros aspectos da biologia dos dermatófitos, indicando que as proteínas da rede HSP podem ser alvos potenciais para a terapia antifúngica. (AU)