Busca avançada
Ano de início
Entree

Uso de aparelho point-of-care (POC) para medir a glicemia de hemolinfa em invertebrados não é um método válido

Processo: 19/19973-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de dezembro de 2019 - 31 de maio de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia Comparada
Pesquisador responsável:Tânia Marcia Costa
Beneficiário:Tânia Marcia Costa
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB-CLP). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus Experimental do Litoral Paulista. São Vicente , SP, Brasil
Assunto(s):Glucose 

Resumo

Concentração de glicose no sangue é amplamente usado como um parâmetro fisiológico para vertebrados e invertebrados. No entanto, sua medição no campo é geralmente difícil devido à necessidade de equipamentos caros e não portáteis. Aparelhos point-of-care (POC), originalmente projetados para uso humano, estão sendo cada vez mais usados para a medição de parâmetros sanguíneos de animais no campo. Nesse sentido, medidores de glicose POC estão se tornando uma valiosa ferramenta para fisiologistas da conservação, uma vez que a glicose pode ser usada como um indicador de resposta ao estresse. Em invertebrados, o uso de medidores de glicose POC ainda é escasso e nenhum estudo até o momento avaliou sua validade em crustáceos e moluscos. Nós testamos se um aparelho POC pode ser usado para medir a glicose na hemolinfa em dois animais modelos muito utilizados, Leptuca thayeri e Perna perna, comparando com um método padrão de laboratório. O aparelho não foi capaz de medir à glicose na hemolinfa de P. perna devido à imprecisão do equipamento e baixa concentração de glicose nessa espécie (10.13±6.25 mg/dL). Além disso, apesar do aparelho ser capaz de medir a glicose na hemolinfa de L. thayeri, gráficos Bland-Altman mostraram alto erro e amplos limites de concordância, e a Correlação de Concordância de Lin (LCC) demonstrou uma fraca concordância entre os métodos. Quando simulando condições experimentais, resultados obtidos com o POC diferiram daqueles obtidos com o método padrão. Nós concluímos que o medidor de glicose POC não é adequado para a avaliação de glicose em mexilhões e não deve ser usado com caranguejos uma vez que os resultados são imprecisos. (AU)