Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito protetivo conferido pelo pré-condicionamento isométrico contra o dano muscular induzido pelo exercício excêntrico de baixa e alta velocidade

Processo: 19/19440-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de novembro de 2019 - 30 de abril de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Pesquisador responsável:Benedito Sérgio Denadai
Beneficiário:Benedito Sérgio Denadai
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro , SP, Brasil
Assunto(s):Contração isométrica  Exercício excêntrico  Fisiologia do esforço 

Resumo

Este estudo investigou se o mesmo protocolo de pré-condicionamento isométrico (IPP) atenua a magnitude do dano muscular induzido por diferentes protocolos de exercícios excêntricos máximos nos flexores de cotovelo. Sessenta e quatro homens não treinados foram designados para dois grupos experimentais ou dois grupos de controle. Os participantes dos grupos experimentais realizaram um IPP antes de contrações excêntricas máximas lentas (60 ° · s-1 - ISO + ECC-S) ou rápidas (180 ° · s-1 - ISO + ECC-F) (MaxECC). Os indivíduos dos grupos de controle realizaram MaxECC lento (ECC-S) ou rápido (ECC-F) sem IPP. O torque concêntrico isocinético máximo (MVC), a dor muscular (SOR) e a espessura muscular (MT) foram avaliados antes, imediatamente após e 1-4 dias após o MaxECC. Encontraram-se interações significativas (p <0,05) entre o grupo vs o tempo para MVC (F = 4,517), SOR (F = 6,318) e MT (F = 1,863). O grupo ECC-S apresentou recuperação mais rápida (p <0,05) de MVC e MT e menor (p <0,05) SOR às 96h pós-MaxECC em comparação com o grupo ECC-F. Não foram encontradas diferenças significativas em MVC e MT entre os grupos ECC-S e ECC-F após o MaxECC. O grupo ISO + ECC-S apresentou uma recuperação mais rápida (p <0,05) do MVC e do SOR em comparação ao grupo ECC-S. Não houve diferenças significativas entre ISO + ECC-S e ECC-S em nenhuma variável. O grupo ISO + ECC-F mostrou recuperação mais rápida (p <0,05) de todas as variáveis avaliadas em comparação ao grupo ECC-F. MVC foi maior (p <0,05) em 48-72h e SOR foi menor (p <0,05) em 48-96h no ISO + ECC-F comparado ao grupo ECC-F. Não houve diferenças significativas entre ISO + ECC-S e ISO + ECC-F para nenhuma variável. Esses resultados mostram que o IPP acelerou a recuperação do MVC e SOR para a condição de exercício lento e excêntrico e atenuou a perda de força e o SOR, além de uma recuperação mais rápida de todas as variáveis avaliadas para a condição de exercício de excêntrico rápido. Portanto, o IPP pode ser usado como uma estratégia para atenuar e acelerar a recuperação de danos musculares induzidos por exercícios excêntricos de diferentes velocidades, resultando em maior proteção contra danos musculares induzidos por velocidade mais rápida. (AU)