Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de métodos para estudo do Haemonchus contortus e da resistência anti-helmíntica ao monepantel

Processo: 19/02967-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de dezembro de 2019 - 30 de novembro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Helmintologia de Parasitos
Pesquisador responsável:Simone Cristina Méo Niciura
Beneficiário:Simone Cristina Méo Niciura
Instituição-sede: Pecuária Sudeste. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA). Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Brasil). São Carlos , SP, Brasil
Pesq. associados:Alessandro Francisco Talamini Do Amarante ; Alessandro Pelegrine Minho ; Ana Carolina de Souza Chagas ; Luciana Correia de Almeida Regitano ; Magda Vieira Benavides ; Marcia Cristina de Sena Oliveira ; Sergio Novita Esteves
Assunto(s):Parasitologia veterinária  Ovinos  Helminthes  Haemonchus contortus  Resistência a medicamentos  Resistência genética  Genômica  Marcador molecular  Técnicas in vitro 

Resumo

Na criação de ovinos, grande parte dos prejuízos advém do parasitismo por nematoides gastrintestinais, especialmente por Haemonchus contortus, e da resistência dos parasitas aos anti-helmínticos utilizados em seu controle. Assim, este projeto foi delineado com o objetivo de contribuir para o avanço do controle da resistência anti-helmíntica ao monepantel e da infecção parasitária por H. contortus nos ovinos. Para tanto, oito polimorfismos identificados em estudo genômico prévio serão validados como marcadores moleculares de resistência ao monepantel em H. contortus, visando ao diagnóstico precoce e ao monitoramento da resistência anti-helmíntica em populações do parasita. Além disso, será padronizado método de cultivo in vitro de H. contortus até a fase adulta para obtenção de indivíduos férteis e progênies viáveis, atendendo à necessidade de cruzamentos de parasitas para mapeamento de genes de resistência, assim como disponibilizando parasitas na fase adulta do ciclo de vida para uso em ensaios in vitro de eficácia de novos compostos ou para aplicação de ferramentas alternativas de controle, como edição gênica e produção de vacinas, sem a necessidade de abate de ovinos hospedeiros. Assim, na alarmante situação mundial de resistência anti-helmíntica, os resultados deste projeto poderão contribuir para a manutenção da efetividade de anti-helmínticos por períodos mais prolongados nos rebanhos, para a detecção de marcadores moleculares envolvidos no desenvolvimento da resistência e para o desenvolvimento de técnicas não-convencionais para o controle do parasita H. contortus em rebanhos ovinos. (AU)