Busca avançada
Ano de início
Entree

EMU concedido no processo 18/14275-5: Micromanipulador - equipamento para transferência nuclear

Processo: 19/09467-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Programa Equipamentos Multiusuários
Vigência: 01 de novembro de 2019 - 31 de outubro de 2026
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Humana e Médica
Pesquisador responsável:Silvano Mario Attilio Raia
Beneficiário:Silvano Mario Attilio Raia
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:18/14275-5 - Produção nacional de suínos geneticamente modificados voltados para o xenotransplante de órgãos em humanos, AP.PITE
Assunto(s):CRISPR-Cas9  Suínos 
As informações de acesso ao Equipamento Multiusuário são de responsabilidade do Pesquisador responsável
Página web do EMU: Página do Equipamento Multiusuário não informada
Tipo de equipamento:Processos Biológicos - Crescimento e manipulação - Transfecção
Fabricante: Fabricante não informado
Modelo: Modelo não informado

Resumo

Motivados pela crescente necessidade de órgãos disponíveis para transplantes e pelos desenvolvimentos recentes das tecnologias de edição genômica, como o sistema CRISPR-Cas9, progressos significativos na eficácia e segurança das técnicas de xenotransplante foram alcançados nos últimos dois anos. Suínos modificados geneticamente para evitar a rejeição imunológica hiperaguda do receptor humano vêm sendo desenvolvidos com sucesso em outros países. Porém, a possibilidade de transmissão cruzada de potenciais patógenos como os PERVs (porcine endogenous retrovirus) precisa ser controlada antes do início dos ensaios em humanos. Este projeto propõe a produção inovadora e nacional de suínos geneticamente modificados, nos quais serão inativados genes indutores da rejeição hiperaguda (GGTA1 / CMAH / ²4GalNT2), além de cópias do gene PERV pol. Para tal, neste projeto associam-se geneticistas, imunologistas, cirurgiões e clínicos com ampla experiência e credibilidade nas respectivas áreas de conhecimento, visando o desenvolvimento de um produto de base biotecnológica nacional cujo objetivo final será prover à população em fila de espera para transplantes uma alternativa terapêutica viável e definitiva, encurtando assim o sofrimento do paciente e seus familiares. Além do aspecto técnico, a viabilização e regulamentação do xenotransplante no Brasil demandará grandes esforços para compatibilizar aspectos éticos, religiosos e legais, bem como a mobilização e envolvimento de diferentes entidades. Nesse sentido, a nossa experiência adquirida aqui no Brasil, na década de 80, com a divulgação do transplante de fígado intervivos, será extremamente valiosa. O EMU concedido tornará possível a execução dos protocolos relacionadas ao projeto e a demais interessados. (AU)