Busca avançada
Ano de início
Entree

Expressão elevada do microRNA circulante 101-3p em pacientes diabetes tipo 1: novos paradigmas nos miRNAs regulatórios das vias patofisiológicas do diabetes tipo 1

Processo: 19/21273-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de novembro de 2019 - 30 de abril de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Maria Elizabeth Rossi da Silva
Beneficiário:Maria Elizabeth Rossi da Silva
Instituição-sede: Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Reação em cadeia da polimerase via transcriptase reversa quantitativa (qRT-PCR)  Endocrinologia  Autoanticorpos  MicroRNAs 

Resumo

MicroRNAs (miRs) são genes reguladores da expressão gênica pós-transcricional, esão frequentemente desregulados em indivíduos que sofrem de diabetes. Nós investigamos o funções de miR-101-3p e miR-204-5p, ambos os quais regulam negativamente a secreção de insulina e sobrevivência celular e são altamente expressos em células beta pancreáticas, no contexto de patogênese do diabetes tipo 1 autoimune (DM1A). Usando PCR quantitativo em tempo real, avaliamos níveis séricos de miR-101-3p e miR-204-5p em quatro grupos, incluindo indivíduos portadores de diabetes tipo 1 autoimune de início recente (grupo DM1A ; n = 50), indivíduos com níveis normais de glicose expressando autoanticorpo pancreático (grupo com apenas 1 autoanticorpo; n = 26) ou múltiplos autoanticorpos (grupo autoanticorpos múltiplos; n = 12), e controles saudáveis (grupo controle; n = 43). Uma análise in silico foi realizada para identificar potenciais genes alvo destes miRNAs e delinear as prováveis vias enriquecidas.A expressão relativa do miR-101-3p no soro foi aproximadamente três vezes maior no grupo multiplos autoanticorpos no diabetes tipo 1 autoimune do que nos grupos com apenas 1 autoanticorpo e grupo controle (p < 0,0001). Ao considerar todos os grupos juntos, a expressão do miR-101-3p foi positiva correlacionando com o níveis de autoanticorpos descarboxilase do ácido glutâmico (GADA) (r = 0,267; p = 0,0027) e do autoanticorpo tirosina- fosfatase( IA-2A) (r = 0,291; p = 0,001), e a expressão do miRNA não se correlacionou com os níveis do autoanticorpo transportador de Zinco 8 ( ZnT8A) (r = 0,125; p = 0,183). A expressão de miR-101-3p não se correlacionou com os níveis de hemoglobina glicada( HbA1c) (r = 0,178; p = 0,052), bem como, com os níveis de glicemia (r = 0,177; p = 0,051). Não foram observados diferenças significativas na expressão do miR-204-5p entre os grupos analisados. A análise computacional das vias do gene alvo miR-101-3p indicou uma potencial ativação da vias de sinalização de HGF / c-Met, receptor de Ephrin e STAT3. Nosso estudo demonstrou que os níveis circulantes de miR-101-3p são maiores em pacientes com DM1 e em indivíduos com níveis normais de glicose, teste positivo para múltiplos autoanticorpos, indicando que o miR-101-3p precede a perda de homeostase da glicose. O papel patogênico do miR-101-3p no diabetes tipo 1 autoimune pode envolver múltiplas vias moleculares. (AU)