Busca avançada
Ano de início
Entree

Modificando a captação e a fosforólise da sacarose em Escherichia coli

Processo: 19/08845-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de setembro de 2019 - 31 de agosto de 2020
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Engenharia de Alimentos
Convênio/Acordo: Delft University of Technology
Proposta de Mobilidade: SPRINT - Projetos de pesquisa - Mobilidade
Pesquisador responsável:Thiago Olitta Basso
Beneficiário:Thiago Olitta Basso
Pesq. responsável no exterior: Sebastian Aljoscha Wahl
Instituição no exterior: Delft University of Technology (TU Delft), Holanda
Pesq. responsável no exterior: Walter van Gulik
Instituição no exterior: Delft University of Technology (TU Delft), Holanda
Instituição-sede: Escola Politécnica (EP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Karel Olavarria Gamez
Vinculado ao auxílio:18/17172-2 - Respostas fisiológicas de leveduras industriais e bactérias contaminantes da produção de etanol a inibidores lignocelulósicos, AP.R
Assunto(s):Bioprocessos  Bactérias ácido lácticas  Escherichia coli  Sacarose  Fosforólise  Fosfotransferases  Cooperação internacional 

Resumo

A sacarose é uma fonte de carbono abundante, fácil de ser assimilada e barata. Além disso, a fosforólise da sacarose pode aumentar a conservação de ATP, ampliando a viabilidade de bioprocessos anaeróbios, cuja demanda em ATP seja limitante para o mesmo. No entanto, utilizando os mecanismos atualmente conhecidos em bactérias, a captação de sacarose depende de energia, impede a fosforólise da sacarose, ou ainda depende de um gradiente de sacarose entre o meio e o citoplasma celular. Uma possibilidade para resolver estes problemas é a implementação de um sistema de transporte de sacarose-fosfotransferase (PTS) que forneça como produto sacarose-6'-fosfato, seguido de fosforólise intracelular deste açúcar-fosfato. No entanto, até onde sabemos, tal mecanismo ainda não foi descrito. Nem mesmo o sistema de transporte PTS contendo sacarose-6'-fosfato. Por outro lado, estudos publicados com base em sequências de aminoácidos previstas, genes putativos que codificam para as proteínas necessárias para este tipo de transporte (PTS) foram identificados em Thermoanaerobacterium thermosaccharolyticum. No entanto, a avaliação in vivo da funcionalidade de tais sistemas ainda não foi realizada. Dessa forma, aqui propomos uma estratégia para (1) caracterizar os candidatos até agora identificados e (2) realizar triagens computacionais e funcionais para detectar outros genes candidatos entre as bactérias (lactobacilos industriais) capazes de crescer em sacarose sob condições anaeróbicas. (AU)