Busca avançada
Ano de início
Entree

Acoplando fenocâmeras e satélites para monitorar mudanças em ambientes sazonalmente secos no Hemisfério Sul

Resumo

A fenologia alcançou uma posição de grande relevância na pesquisa ambiental devido a suas aplicações para monitorar, detectar e atribuir mudanças no tempo fenológico às mudanças climáticas. A escassez de dados de fenologia a longo prazo, a alta diversidade de espécies e a ausência de uma estação dormente marcada dificultaram nossa capacidade de relacionar o aumento das temperaturas e mudanças temporais na fenologia tropical e do Hemisfério Sul. A fenologia foliar tem implicações significativas na dinâmica e produtividade dos ecossistemas, bem como nos ciclos de carbono. Os campos tropicais e temperados são contribuintes essenciais para a biodiversidade e a produtividade globais, mas ainda faltam estudos explorando a dinâmica espaço-temporal da paisagem nesses ecossistemas. Propomos integrar metodologias que abranjam as abordagens espacial (satélites) e temporal (fenocameras) para monitorar as variações da fenologia foliar para investigar (i) a dinâmica temporal da produtividade dos ecossistemas; (ii) os fatores hidroclimáticos associados que limitam as estratégias de troca de folhas e; (iii) previsão ecológica dos impactos das mudanças climáticas nesses biomas nas escalas local e regional. Este projeto visa (i) utilizar e comparar medidas de esverdeamento derivadas de fenocamos e sensores de satélite para análise de campos naturais e biomas arborizados sazonais secos; e (ii) detectar mudanças geográficas e tendências na fenologia da vegetação nos biomas do Hemisfério Sul (Austrália-Brasil). O projeto de intercâmbio proposto está bem relacionado à proposta sob avaliação da FAPESP (nº 2019 / 11835-2), bem como a pesquisas em andamento, e certamente resultará em uma pesquisa colaborativa frutífera e de longo prazo entre os dois grupos. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio: