Busca avançada
Ano de início
Entree

Acoplando fenocâmeras e satélites para monitorar mudanças em ambientes sazonalmente secos no Hemisfério Sul

Processo: 19/16191-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de dezembro de 2019 - 30 de novembro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia de Ecossistemas
Convênio/Acordo: Australian Technology Network of Universities (ATN)
Proposta de Mobilidade: SPRINT - Projetos de pesquisa - Mobilidade
Pesquisador responsável:Leonor Patricia Cerdeira Morellato
Beneficiário:Leonor Patricia Cerdeira Morellato
Pesq. responsável no exterior: Alfredo Huete
Instituição no exterior: University of Technology, Sydney (UTS), Austrália
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro , SP, Brasil
Pesq. associados:Bruna de Costa Alberton ; Qiaoyun Xie
Vinculado ao auxílio:19/11835-2 - Fenologia de florestas secas decíduas: uma comparação em múltiplas escalas utilizando fenocâmeras e drones, AP.R
Assunto(s):Fenologia  Vegetação  Bioma  Mudança climática  Temperatura  Hidroclimatologia  Ciclo do carbono  Hemisfério Sul  Cooperação internacional 

Resumo

A fenologia alcançou uma posição de grande relevância na pesquisa ambiental devido a suas aplicações para monitorar, detectar e atribuir mudanças no tempo fenológico às mudanças climáticas. A escassez de dados de fenologia a longo prazo, a alta diversidade de espécies e a ausência de uma estação dormente marcada dificultaram nossa capacidade de relacionar o aumento das temperaturas e mudanças temporais na fenologia tropical e do Hemisfério Sul. A fenologia foliar tem implicações significativas na dinâmica e produtividade dos ecossistemas, bem como nos ciclos de carbono. Os campos tropicais e temperados são contribuintes essenciais para a biodiversidade e a produtividade globais, mas ainda faltam estudos explorando a dinâmica espaço-temporal da paisagem nesses ecossistemas. Propomos integrar metodologias que abranjam as abordagens espacial (satélites) e temporal (fenocameras) para monitorar as variações da fenologia foliar para investigar (i) a dinâmica temporal da produtividade dos ecossistemas; (ii) os fatores hidroclimáticos associados que limitam as estratégias de troca de folhas e; (iii) previsão ecológica dos impactos das mudanças climáticas nesses biomas nas escalas local e regional. Este projeto visa (i) utilizar e comparar medidas de esverdeamento derivadas de fenocamos e sensores de satélite para análise de campos naturais e biomas arborizados sazonais secos; e (ii) detectar mudanças geográficas e tendências na fenologia da vegetação nos biomas do Hemisfério Sul (Austrália-Brasil). O projeto de intercâmbio proposto está bem relacionado à proposta sob avaliação da FAPESP (nº 2019 / 11835-2), bem como a pesquisas em andamento, e certamente resultará em uma pesquisa colaborativa frutífera e de longo prazo entre os dois grupos. (AU)