Busca avançada
Ano de início
Entree

Bomba de Sangue Ápico-Aórtica

Processo: 19/10949-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de dezembro de 2019 - 30 de novembro de 2021
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Biomédica - Bioengenharia
Pesquisador responsável:Rafael Nunes da Silva
Beneficiário:Rafael Nunes da Silva
Empresa:Rafael Nunes da Silva
CNAE: Fabricação de instrumentos e materiais para uso médico e odontológico e de artigos ópticos
Município: São Bernardo do Campo
Pesquisadores principais:Bruno Jesus dos Santos ; Gustavo Caravita de Andrade
Pesq. associados:Bruno Utiyama da Silva ; Eduardo Guy Perpétuo Bock ; Mariana Maria Aparecida Pinto Hernandes ; Tarcísio Fernandes Leão
Vinculado ao auxílio:17/25025-7 - Bomba de sangue Ápico-Aórtica, AP.PIPE
Assunto(s):Dispositivo de assistência circulatória  Bombas de infusão  Bombas centrífugas  Doenças cardiovasculares 

Resumo

Na grande maioria dos países, as doenças do sistema cardiovascular são responsáveis pelo maior número de óbitos. Este projeto tem como objetivo o desenvolvimento de uma Bomba de Sangue Ápico-Aórtica (BSAA) a ser utilizada como Dispositivo de Assistência Ventricular (DAV) em pacientes com cardiopatias graves ou a espera de um transplante cardíaco. No Brasil, o acesso a essa tecnologia é difícil e onerosa. Os dispositivos importados chegam a custar 1 milhão reais. O custo final estimado deste dispositivo será em torno de 150 mil reais, facilitando sua utilização, seja no sistema público ou privado brasileiro. Uma bomba de sangue implantável desenvolvida no Brasil possibilitará disseminar essa tecnologia nos centros médicos que realizam cirurgias cardíacas. Uma nova versão da BSAA projetada para manter ao máximo as características do modelo original foi desenvolvida com um motor de catálogo de fluxo magnético radial, facilitando uma levitação magnético-hidráulica, isso que fez com que o mancal inferior do rotor sofresse menor desgaste, possibilitando que a BSAA seja utilizada em terapias de longo prazo. Os primeiros protótipos da nova versão da BSAA foram construídos por impressão 3D no Centro de Engenharia em Assistência Circulatória (CEAC) da Divisão de Bioengenharia da Fundação Adib Jatene (FAJ), utilizando a impressora Connex 350 ® (Stratasys®, Eden Prairie, EUA) e os resultados dos ensaios "in vitro" foram satisfatórios e comprovaram a viabilidade técnica da produção do DAV BSAA. O objetivo da BSAA como produto só será alcançado por meio da realização de ensaios "in vivo" em animais (AU)