Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de materiais biofuncionais para aplicação em medicina regenerativa, engenharia tecidual e terapia avançada de lesões ósseas

Processo: 18/18890-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de dezembro de 2019 - 30 de novembro de 2021
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Pesquisador responsável:Daniel Navarro da Rocha
Beneficiário:Daniel Navarro da Rocha
Empresa:R-Crio Criogenia S/A
CNAE: Pesquisa e desenvolvimento experimental em ciências físicas e naturais
Município: Campinas
Pesquisadores principais:Jheison Lopes dos Santos
Pesq. associados: André Antonio Pelegrine ; Angela Maria Moraes ; Camila Cristine Lopes ; Carla Cristina Gomes Pinheiro ; Cecília Buzatto Westin ; Daniela Franco Bueno ; Rubens Lincoln Santana Blazutti Marçal
Vinculado ao auxílio:17/08198-5 - Desenvolvimento de membranas compósitas para regeneração óssea guiada (ROG), AP.PIPE
Assunto(s):Engenharia tecidual  Medicina regenerativa  Regeneração óssea  Terapia baseada em transplante de células e tecidos  Biofuncionalização de nanomateriais  Biomateriais 

Resumo

A técnica de regeneração óssea guiada é uma importante estratégia clínica para reparar/regenerar o tecido ósseo, através da utilização de membranas oclusivas, que preservam o enxerto ósseo no local e impedem que o defeito ósseo seja invadido por tecidos de crescimento rápido (fibroso ou epitelial) [1, 2]. Durante a regeneração do tecido ósseo, as membranas devem apresentar integridade estrutural para suportar a formação e maturação óssea. Esta abordagem é usada principalmente na regeneração de grandes defeitos ósseos em cirurgias bucomaxilofacial, periodontal e ortopédica. No projeto PIPE - FASE 1, a incorporação de uma fase bioativa (fosfato de cálcio) na membrana polimérica teve como objetivo a melhora da resposta biológica sem a perda de suas propriedades mecânicas, comprovada através dos ensaios in vitro, e citada em entrevistas como a maior necessidade dos profissionais da área médica. Como continuidade do trabalho, no PIPE - FASE 2, será investigado o aumento da quantidade e da qualidade da regeneração dos defeitos ósseos, através dos ensaios pré-clínicos em defeitos críticos na calota craniana de ratos Wistar e em defeitos alveolares bilaterais em mini pigs. Para isso, além das membranas compósitas, a R-Crio Criogenia se propõe a desenvolver arcabouços porosos sintéticos associados às células-tronco mesenquimais (CTM) e/ou vesículas extracelulares (VE), comparando-os com arcabouços porosos comerciais - grupo controle. Estudos pré-clínicos e clínicos indicam que a capacidade imunomoduladora e a capacidade de diferenciação das CTM podem influenciar no processo de regeneração óssea e na qualidade de novo osso formado. Além disso, como em outras células, as CTM liberam vesículas com cargas bioativas para o meio extracelular que atuam como mediadores na comunicação intercelular, disseminam as informações biológicas e contribuem para os fatores parácrinos. É imprescindível, para futura investigação clínica (humanos), a comprovação da segurança e eficácia do uso de biomateriais associados às CTM e VE, através de estudos pré-clínicos em modelos animais de pequeno (ratos Wistar) e médio porte (mini pigs). Para o devido registro e desenvolvimento comercial do processo/produto de engenharia tecidual serão realizados os estudos clínicos Fase 1 e 2, junto à ANVISA, durante o PIPE-FASE 3. (AU)