Busca avançada
Ano de início
Entree

Ecotoxicologia do inseticida azametifos e desenvolvimento de protocolo de segurança ambiental de utilização para tambaqui (Colossoma macropomum)

Processo: 19/16294-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2020 - 28 de fevereiro de 2022
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca - Aquicultura
Pesquisador responsável:Claudinei da Cruz
Beneficiário:Claudinei da Cruz
Instituição-sede: Centro Universitário da Fundação Educacional de Barretos (UNIFEB). Fundação Educacional de Barretos (FEBA). Barretos , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):20/06122-4 - Ecotoxicologia do inseticida azametifos para bioindicadores aquáticos, BP.TT
Assunto(s):Ecotoxicologia  Toxicidade aguda  Inseticidas organofosforados  Azametifos  Modelos biológicos  Histologia  Peixes  Tambaqui  Segurança ambiental 

Resumo

A ocorrência de ecto e endoparasitos causa perdas econômicas na piscicultura, devido às mortalidades nas fases de larvicultura, alevinagem e nas fases inicias de engorda. Os compostos organofosforados têm sido utilizados no controle de ectoparasitos na aquicultura mundial e, dentre estes, o azametifos considerado moderadamente tóxico e inibidor da acetilcolinesterase é utilizado e registrado em outros países para a aquicultura e tem potencial para ser utilizado na piscicultura brasileira. Assim, o objetivo desta proposta de pesquisa será: i) avaliar a toxicidade aguda do azametifos para organismos não alvos e bioindicadores de exposição ambiental (plantas aquáticas - Azolla caroliniana, Lemna minor e Wolffia brasiliensis), para o molusco Pomacea canaliculata, para o camarão pitu-de-água-doce (Macrobrachium acanthrus) e os peixes zebrafish (Danio rerio) e mato grosso (Hyphessobrycon eques); ii) avaliar a toxicidade aguda e crônica do organismo alvo tambaqui (Colossoma macropomum); analisar os efeitos histológicos e hematológicos no tambaqui (C. macropomum) da exposição ao azametifos; iii) analisar a expressão de proteína para avaliar a degradação da acetilcolina do peixe tambaqui (C. macropomum) após a aplicação do azametifos. Para tanto, os ensaios de toxicidade aguda para os organismos bioindicadores serão realizados de acordo com as normas nacionais e internacionais vigentes. Para o tambaqui (C. macropomum) os ensaios de toxicidade aguda e crônica também serão realizados de acordo com as normas nacionais vigentes. Para a determinação da possibilidade de uso e os possíveis efeitos da exposição do tambaqui ao azametifos será realizado um ensaio de simulação de tratamento e de recuperação da exposição com avaliação dos possíveis efeitos histopatológicos, hematológicos e de expressão de proteínas envolvidas na resposta ao azametifos. (AU)