Busca avançada
Ano de início
Entree

Ensaio clínico de inibição de bradicinina em adultos hospitalizados com COVID-19 grave

Processo: 20/04522-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de abril de 2020 - 31 de março de 2022
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Licio Augusto Velloso
Beneficiário:Licio Augusto Velloso
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/07607-8 - CMPO - Centro Multidisciplinar de Pesquisa em Obesidade e Doenças Associadas, AP.CEPID
Assunto(s):Imunologia  COVID-19  Coronavírus da síndrome respiratória aguda grave 2  Infecções por Coronavirus  Peptidil dipeptidase A  Bradicinina  Inibidores da enzima conversora da angiotensina  Proteína inibidora do complemento C1  Antagonistas de receptor B2 da bradicinina  Ensaio clínico  Pandemias 

Resumo

A pandemia do novo vírus de síndrome respiratória aguda grave (SARS-CoV-2) já foi confirmada em mais de 330 mil pessoas sendo responsável por mais de 14 mil mortes em todo o mundo (Organização Mundial de Saúde-dados oficiais do dia 23 de marco de 2020). O tratamento atual para os casos graves se baseia em suporte respiratório, uso de uma variedade de antibióticos com eventual oxigenação extracorpórea; entretanto os resultados ainda são insatisfatórios. Pesquisadores demonstraram que o vírus se liga a Enzima Conversora de Angiotensina 2 (ECA2) para ter acesso às células. Essa enzima é fundamental na inativação da Angiotensina II (ANGII) e da bradicinina. O acúmulo de bradicinina nos pulmões é um efeito comum após o uso de inibidores da ECA com consequência aumento de tosse. Em estudos com modelos animais, a inativação de ECA2 leva a pneumonite grave após administração de lipopolissacarídeos (LPS) e a inibição da bradicinina recupera completamente a função e estrutura pulmonar. Como a pneumonia é o quadro de maior intensidade e marcador da progressão da doença, nossa hipótese é de que o aumento de bradicinina é o principal elo entre a infecção pelo SARS-CoV-2 e a inibição da ECA2 resultando numa síndrome respiratória grave. OBJETIVO: Avaliar a eficácia de dois inibidores farmacológicos da bradicinina, o inibidor de C1 esterase/calicreina (Berinert®, CSL Behring GmbH) e o inibidor do receptor 2 de bradicinina, o icatibanto (Firazyr®, Shire) em pacientes graves hospitalizados por SARS-CoV-2. METODOLOGIA: Este é um ensaio clínico aberto randomizado a ser realizado no Hospital de Clínicas da Universidade Estadual de Campinas, Brasil. Cento e oitenta pacientes serão divididos na proporção 1:1:1 para receber: i, o suporte básico estabelecido por ensaios clínicos já publicados, que incluem suporte de oxigênio, ventilação mecânica invasiva e não invasiva, uso de antibióticos, uso de vasopressor e terapia de suporte renal; ou, ii, Berinert, 20 U/Kg por via endovenosa, uma dose no dia da inclusão no estudo e uma dose no quarto dia; pacientes desse grupo receberão o mesmo procedimento de suporte básico oferecido para o grupo controle; iii, Firazyr, 30 mg por via subcutânea 8/8 h por quatro dias; pacientes desse grupo receberão o mesmo procedimento de suporte básico oferecido para o grupo controle. Os desfechos primários são, recuperação completa com alta hospitalar ou morte; o acompanhamento será feito por 28 dias. Os critérios de inclusão serão: homens e mulheres com idade de 18 anos ou mais com RT-PCR positivo para SARS-CoV-2; pneumonia confirmada por tomografia computadorizada (CT) do tórax; saturação de oxigênio em ar ambiente de 94% ou inferior. Critérios de exclusão: Gestantes ou lactantes; pacientes com doença hepática grave (alanina aminotransferase e/ou aspartatoaminotransferase >5x acima do normal); nefropatia grave (transplantado de rim ou dialise), infecção por HIV, câncer, angioedema hereditário, outras imunodeficiências, doença isquêmica do miocárdio pregressa, doença tromboembólica pregressa. Todos os pacientes do estudo e/ou seus parentes serão informados sobre os objetivos e riscos da pesquisa e deverão ler e assinar o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. (AU)