Busca avançada
Ano de início
Entree

Uso de novas ferramentas de bio-rastreamento e analíticas para o estudo da ecologia do movimento e conservação de aves na Caatinga

Processo: 18/19389-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Apoio a Jovens Pesquisadores
Vigência: 01 de março de 2020 - 28 de fevereiro de 2025
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia
Convênio/Acordo: Sociedade Max Planck para o Avanço da Ciência
Pesquisador responsável:Francisco Voeroes Dénes
Beneficiário:Francisco Voeroes Dénes
Pesq. responsável no exterior: Martin Wikelski
Instituição no exterior: Max Planck Society, Dresden, Alemanha
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados: Carlos David da Silva Oliveira dos Santos ; Kamran Safi ; Paulo Inácio de Knegt López de Prado
Bolsa(s) vinculada(s):20/03177-2 - Uso de novas ferramentas de bio-rastreamento e analíticas para o estudo da Ecologia do Movimento e Conservação de aves na Caatinga, BP.JP
Assunto(s):Fisiologia  Caatinga  Ecossistemas  Conflitos ambientais  Conservação biológica  Rastreamento  Aves 

Resumo

O uso de novas ferramentas de bio-rastreamento tem permitido que pesquisadores respondam perguntas sobre o comportamento, ecologia e fisiologia de animais selvagens, particularmente espécies crípticas ou com grandes áreas de vida, cuja investigação até recentemente era impraticável. A disciplina da Ecologia do Movimento abrange muitas dessas questões, e tem sido cada vez mais utilizada em estudos e prática da conservação para auxiliar o entendimento das ameaças e causas de declínios populacionais. Essa proposta descreve um programa de pesquisa em Ecologia do Movimento e Conservação que explorará a ecologia e conservação de aves na Caatinga. A arara-azul-de-Lear, espécie endêmica e globalmente ameaçada, e quatro espécies de urubus do Novo Mundo servirão de modelo para a investigação de questões relacionadas à (1) ecologia fundamental de aves frutívoras e carniceiras-obrigatórias, seus serviços ecossistêmicos, conflitos com humanos, e planejamento para a conservação, sob a ótica da Ecologia do Movimento. O programa de pesquisa vai incentivar o desenvolvimento dessa área de pesquisa no Brasil através da orientação de alunos, do oferecimento de uma disciplina de pós-graduação na instituição sede, organização de um simpósio/workshop. Os resultados das pesquisas serão disseminados para múltiplas audiências através de uma página (website) de extensão, e na participação de eventos em rádios e pessoalmente, focados nas comunidades rurais da área de estudo. (AU)