Busca avançada
Ano de início
Entree

A toninha, Pontoporia blainvillei (Gervais and d'Orbigny, 1844), sob nova ótica: pesquisa e conservação de um pequeno cetáceo ameaçado de extinção

Processo: 18/17501-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de novembro de 2020 - 31 de outubro de 2022
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Oceanografia - Oceanografia Biológica
Pesquisador responsável:Marcos César de Oliveira Santos
Beneficiário:Marcos César de Oliveira Santos
Instituição-sede: Instituto Oceanográfico (IO). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Bioacústica  Estrutura social  Comportamento 

Resumo

Nos últimos 40 anos as principais investigações sobre ecologia e história de vida da toninha, Pontoporia blainvillei (Mammalia, Cetartiodactyla), foram baseadas em dados coletados de exemplares mortos oriundos de esforços de monitoramento de praias ou de capturas acidentais efetuadas por frotas pesqueiras que usaram redes de emalhe. Essas investigações foram suficientes para se chegar ao diagnóstico de que a espécie está ameaçada de extinção. A proposta encaminhada visa inovar as investigações sobre as toninhas em seu ambiente com o uso de tecnologias modernas acessíveis a investigadores de países em desenvolvimento. Esse estudo será realizado entre dezembro de 2019 e novembro de 2021 no litoral norte paulista (ca. 23o26'S; 45o04'O) onde toninhas têm sido comumente avistadas em função do contraste de seu padrão de coloração em relação às características de transparência das águas locais. O objetivo será investigar características sociais envolvendo tamanho e composição de grupos de toninhas, tempo de mergulho de grupos com e sem crias, investigar a efetividade de unidades de conservação estabelecidas localmente há pelo menos 30 anos ao comparar suas taxas de encontro em áreas protegidas e fora das mesmas como proxy de avaliação de sua abundância local, e descrever estados e eventos comportamentais das mesmas com uso de veículos aéreos não tripulados, capturando imagens sincronizadas com gravações acústicas efetuadas com uso de hidrofones. O material gerado em sons e imagens, aliado aos resultados obtidos serão utilizados para a descrição de protocolos de investigação de espécies crípticas de cetáceos, ao melhor conhecimento da biologia e ecologia da espécie, e em campanhas de popularização da espécie-alvo em escolas públicas, escritórios de unidades de conservação e em eventos acadêmicos. Visa-se compartilhar o conhecimento gerado para a conscientização de importantes atores da sociedade, e gerar consequente apoio aos gestores de unidades de conservação envolvidos na elaboração de políticas públicas visando a implementação de ações efetivas para o manejo e a proteção deste pequeno cetáceo ameaçado. (AU)