Busca avançada
Ano de início
Entree

Modelagem e controle de doenças transmitidas por vetores: dengue e malária

Processo: 19/22157-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2020 - 28 de fevereiro de 2022
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Matemática - Matemática Aplicada
Convênio/Acordo: INRIA
Proposta de Mobilidade: SPRINT - Projetos de pesquisa - Mobilidade
Pesquisador responsável:Cláudia Pio Ferreira
Beneficiário:Cláudia Pio Ferreira
Pesq. responsável no exterior: Pierre Alexandre Jacques Bliman
Instituição no exterior: Institut National de Recherche en Informatique et en Automatique, França
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Pesq. associados: Abderrahman Iggidr ; Luis Manuel Lopes Neves de Almeida ; Mostafa Adimy ; Renato Mendes Coutinho ; Roberto André Kraenkel ; Sergio Muniz Oliva Filho
Vinculado ao auxílio:18/24058-1 - Arboviroses: dinâmica e controle de vetores, AP.R
Assunto(s):Biomatemática  Análise de séries temporais  Equações diferenciais  Controle biológico  Teoria de controle  Doenças transmissíveis  Vetores de doenças  Dengue  Malária  Epidemiologia analítica  Cooperação internacional 

Resumo

Considerando todas as doenças infecciosas espalhadas pelo mundo, as doenças transmitidas por vetores representam mais de 17%. Para uma grande parte deles, nenhuma vacina eficiente está disponível e esforços de controle devem ser feitos na população de vetores. Com foco na dengue e na malária, duas doenças transmitidas pelo mosquito vetor e que causam alta morbimortalidade em todo o mundo, este projeto visa modelar a transmissão dessas doenças, seu espalhamento e controle, em um contexto de mudanças climáticas e ambientais. Para isso, os principais fatores por trás da transmissão dessas doenças serão estudados para entendermos quais deles modulam os padrões espaço-temporais observados, principalmente no Brasil. Combinando técnicas de análise de dados com modelos matemáticos e teoria de controle, o plano é trabalhar na análise de dados para definir possíveis fatores bióticos e abióticos que impulsionam a dinâmica da malária e da dengue; estudar e modelar os efeitos da sazonalidade na propagação das doenças; compreender aspectos espaciais da transmissão por meio da configuração de modelos capazes de explicar aspectos não-locais e heterogêneos; e analisar abordagens alternativas de controle de mosquitos, especialmente os métodos de controle biológico baseados em mosquitos estéreis ou na infecção por bactérias que reduzem a capacidade vetorial. (AU)