Busca avançada
Ano de início
Entree

Impacto da microbiota intestinal e seus metabólitos na infecção por SARS-CoV-2

Processo: 20/04583-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de abril de 2020 - 31 de março de 2022
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Celular
Pesquisador responsável:Marco Aurélio Ramirez Vinolo
Beneficiário:Marco Aurélio Ramirez Vinolo
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Pesq. associados: Ana Paula Duarte de Souza ; William Marciel de Souza
Vinculado ao auxílio:18/15313-8 - Análise dos mecanismos moleculares envolvidos na interação de metabólitos da microbiota e células do hospedeiro durante a inflamação, AP.JP2
Assunto(s):Viroses  COVID-19  Infecções por Coronavirus  Coronavírus da síndrome respiratória aguda grave 2  Microbioma gastrointestinal  Ácidos graxos voláteis  Mediadores da inflamação  Carga viral  Pandemias 

Resumo

A pandemia do Covid-19 tem impactado à saúde pública dramaticamente em vários países. Nesse contexto, entender os fatores relacionados as formas graves do Covid-19 é essencial para prevenção e, possível, tratamento dos infectados. Trabalhos recentes mostram que a microbiota intestinal e seus produtos têm papel fundamental nas infecções respiratórias por outros vírus incluindo vírus sincicial respiratório e vírus da Influenza. Contudo, não se sabe se há relação entre alterações da microbiota e a infecção por COVID-19. Neste projeto utilizaremos abordagens experimentais já empregadas pelo grupo para entender a relação entre microbiota intestinal/seus produtos e infecção viral respiratória. Brevemente, usaremos modelos animais nos quais alteramos a microbiota intestinal e sua produção de metabólitos através de uso de antibióticos, suplementação com metabólitos da microbiota ou dietas que alteram a produção endógena desses produtos e analisaremos a sua resposta frente a infecção por SARS-CoV-2. Camundongos mantidos em diferentes condições experimentais (dietas, suplementação oral com metabólitos ou antibióticos) serão infectados com SARS-CoV-2 e analisados quanto a evolução da doença (variação do peso e sinais clínicos) e, posteriormente, eutanasiados para análise da carga viral, mediadores inflamatórios, celulares, e alterações histológicas no pulmão. Além disso, analisaremos a quantidade de vírus presente nas fezes e a produção intestinal de ácidos graxos de cadeia curta e composição da microbiota intestinal. Os dados obtidos serão complementados por análises realizadas com linhagens celulares humanas e de amostras de pacientes infectados. (AU)