Busca avançada
Ano de início
Entree

Berberina associada a terapia fotodinâmica promove autofagia e apoptose via geração de ROS em células de carcinoma renal

Processo: 19/26859-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de março de 2020 - 31 de agosto de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Humana e Médica
Pesquisador responsável:Marilia de Freitas Calmon
Beneficiário:Marilia de Freitas Calmon
Instituição-sede: Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (IBILCE). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São José do Rio Preto. São José do Rio Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Genética médica  Terapia fotodinâmica  Apoptose  Autofagia  Berberina 

Resumo

O carcinoma de células renais (CCR) consiste no câncer urológico comum mais letal e a prática clínica demonstrou que o CCR resistente às terapias comuns é extremamente alto. A berberina é um alcalóide da isoquinolina, presente em diferentes tipos de plantas e há muito tempo é utilizada na medicina chinesa. Possui várias propriedades, como antioxidante, antiinflamatória, antidiabética, antimicrobiana e anticâncer. Além disso, a berberina possui características fotossensíveis e sua associação com a terapia fotodinâmica (TFD) é eficaz contra as células tumorais. Este estudo teve como objetivo avaliar os efeitos da berberina associada à TFD nas linhagens celulares de carcinoma renal. O ensaio de viabilidade celular mostrou aumento da citotoxicidade de modo concentração e tempo dependente.A berberina apresentou internalização eficiente em todas as linhagens celulares analisadas. Além disso, após o tratamento com berberina associado à TFD, observou-se um alto efeito de fototoxicidade com menos de 20% das células viáveis. Neste estudo, observamos que o aumento dos níveis de espécies reativas de oxigênio (ERO) foi acompanhado por um aumento dos níveis de autofagia e apoptose pela atividade da caspase 3, sugerindo morte celular por ambos os mecanismos. Além disso, três genes-alvo dos fármacos anticâncer foram expressos diferencialmente nas células 786-O, sendo que o gene do Fator de Crescimento Endotelial Vascular-D (FIGF) e da Transcriptase Reversa da Telomerase Humana (TERT) apresentou baixa expressão e Polo Like Kinase 3 (PLK3) apresentou superexpressão após o tratamento com berberina associado à TFD. Neste estudo, o tratamento proposto desencadeou alterações metabólicas relacionadas à proliferação celular, tumorigênese e angiogênese. Assim, foi possível sugerir que a berberina tem potencial promissor como agente fotossensibilizante em uma terapia fotodinâmica, pois induziu efeitos anticâncer significativos nas células do carcinoma renal. (AU)