Busca avançada
Ano de início
Entree

Exposição à fumaça de cigarro durante o início do período pós-natal de camundongos interfere com a captação de 18F-FDG da infância à idade adulta - um estudo longitudinal

Processo: 20/00120-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de maio de 2020 - 31 de outubro de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Análise Toxicológica
Pesquisador responsável:Tania Marcourakis
Beneficiário:Tania Marcourakis
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Estudos longitudinais  Tomografia por emissão de pósitrons  Neuroimagem  Poluição por fumaça de tabaco 

Resumo

A exposição à poluição tabagstica ambiental (PTA) está associada a alta morbimortalidade, principalmente na infância. Nosso objetivo foi avaliar os efeitos da exposição pós-natal da PTA na captação de 2-desoxi-2- [18F] -fluoro-D-glicose (18F-FDG) no encéfalo de camundongos por tomografia por emissão de pósitrons (PET) em um estudo longitudinal. Camundongos C57BL/6J foram expostos à TBA gerada a partir de cigarros 3R4F desde o dia pós-natal 3 (P3) até P14. As análises PET foram realizadas em camundongos machos e fêmeas durante a infância (P15), adolescência (P35) e idade adulta (P65). Observamos que a exposição à PTA diminuiu a captação de 18F-FDG em todo o encéfalo, hemisférios esquerdo e direito, e o córtex frontal em camundongos machos e fêmeas na infância, enquanto que os camundongos fêmeas expostos à PTA apresentaram captação diminuída de 18F-FDG no cerebelo. Além disso, todos os camundongos apresentaram captação reduzida de 18F-FDG na infância, em comparação à idade adulta em todos os VOIs analisados. Na idade adulta, a exposição à PTA durante o período pós-natal inicial diminuiu a captação encefálica de 18F-FDG em camundongos machos adultos no córtex, estriado, hipocampo, córtex cingulado e tálamo quando comparado ao grupo controle. A PTA induziu um aumento na captação de 18F-FDG em camundongos adultos fêmeas quando comparado ao grupo controle no tronco cerebral e no córtex cingulado. Além disso, os machos expostos à PTA apresentaram uma diminuição na captação de 18F-FDG quando comparados as fêmeas expostas à PTA no encéfalo total, tronco cerebral, córtex, amígdala esquerda, estriado, hipocampo, córtex cingulado, cérebro e septo basal, tálamo, hipotálamo e mesencéfalo. O presente estudo mostra que várias regiões encefálicas são vulneráveis à exposição à PTA durante o início do período pós-natal e esses efeitos na captação de 18F-FDG são observados mesmo muito tempo após a última exposição. Este estudo corrobora nossas descobertas anteriores, reforçando a ideia de que a exposição à fumaça do tabaco em um período crítico interfere no desenvolvimento encefálico de camundongos desde o final da infância até o início da idade adulta. (AU)