Busca avançada
Ano de início
Entree

Interação entre Streptococcus mutans e Actinomyces naeslundii em biofilmes dupla-espécie

Processo: 20/00662-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de fevereiro de 2020 - 31 de julho de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Clínica Odontológica
Pesquisador responsável:Fernanda Lourenção Brighenti
Beneficiário:Fernanda Lourenção Brighenti
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOAr). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Assunto(s):Fatores de virulência  Cárie dentária  Biofilmes 

Resumo

O estudo da interação bacteriana entre Streptococcus mutans e Actinomyces naeslundii pode revelar características importantes das relações interespécies em biofilmes. O objetivo deste estudo foi caracterizar (formação e composição de biofilmes e atividade metabólica) biofilmes de uma e duas espécies de S. mutans ou A. naeslundii e usar um reator de fluxo por gotejamento (RFG) para avaliar as respostas ao estresse do biofilme à clorexidina a 0,2% diacetato (CHX). Biofilmes mono e dupla-espécies foram cultivados por 24 h. Os seguintes fatores foram avaliados: viabilidade celular, biomassa, proteínas totais na matriz extracelular, redução "XTT" - 2,3-bis (2-metoxi-4-nitro-5-sulfofenil) -2H-tetrazólio-5-carboxanilida e produção de ácido láctico. Para avaliar a resposta ao estresse, biofilmes foram cultivados em RFG. Os biofilmes foram tratados com CHX ou cloreto de sódio a 0,9% (NaCl; controle). Os biofilmes foram re-suspensos e semeados em meios de cultura para avaliação da viabilidade. Também foi realizada microscopia confocal de varredura a laser. A análise dos dados foi realizada com nível de significância de 5%. A viabilidade de S. mutans e a produção de ácido lático em biofilmes dupla- espécies foram significativamente reduzidas. S. mutans mostrou maior resistência à CHX em biofilmes dupla-espécies. O conteúdo total de proteínas, a biomassa e a redução do XTT não mostraram diferenças significativas entre os biofilmes mono e dupla-espécies. Imagens da microscopia confocal mostraram a formação de grandes aglomerados em biofilmes dupla-espécies. Em conclusão, biofilmes dupla-espécies reduziram a viabilidade de S. mutans e a produção de ácido láctico e aumentaram a resistência de S. mutans à clorexidina. (AU)