Busca avançada
Ano de início
Entree

Estratégia de tratamento anti-helmíntico seletivo baseado no ganho de peso em cordeiros Morada Nova

Processo: 19/02929-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de maio de 2020 - 30 de abril de 2022
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Medicina Veterinária Preventiva
Pesquisador responsável:Ana Carolina de Souza Chagas
Beneficiário:Ana Carolina de Souza Chagas
Instituição-sede: Pecuária Sudeste. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA). Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Brasil). São Carlos , SP, Brasil
Pesq. associados:Alessandro Francisco Talamini Do Amarante ; Alessandro Pelegrine Minho ; Cintia Hiromi Okino ; Fernanda de Freitas Anibal ; Magda Vieira Benavides ; Patricia Tholon ; Sergio Novita Esteves ; Simone Cristina Méo Niciura ; Waldomiro Barioni Júnior
Assunto(s):Parasitologia veterinária  Ovinos  Cordeiros  Ovelha Morada Nova  Infecções por nematoides em animal  Haemonchus contortus  Transcriptômica  Estudo de associação genômica ampla  Técnicas de genotipagem  Desempenho animal 

Resumo

A equipe da presente proposta executou o projeto FAPESP "Caracterização genética e de respostas imunes associadas ao fenótipo de resistência parasitária em rebanho ovino da raça Morada Nova" (nº 2017/01626-1). Agora se espera avançar nos conhecimentos gerados pela avaliação dos 287 cordeiros e 123 matrizes do projeto supracitado para que tecnologias aplicáveis possam ser disponibilizadas para o controle seletivo de nematoides gastrintestinais (NGI) de pequenos ruminantes tendo como modelo a raça Morada Nova. Pretende-se medir o impacto da infecção por NGI no desempenho dos animais, a fim de se desenvolver um método de everminação por meio de tratamento seletivo (TST), utilizando o ganho de peso diário como indicador (Happy FactorTM). Essa estratégia parece ser mais adequada que a contagem de ovos por grama de fezes (OPG), ou mesmo o método FAMACHA©, visto que cordeiros Morada Nova com carga parasitária alta permaneceram com hematócrito elevado. Assim, futuramente o Happy FactorTM poderia ser avaliado, pois por meio desta prática seria possível detectar os animais mais infectados, otimizar seu ganho de peso e reduzir a contaminação da pastagem por NGI, mantendo refugia representativa e minimizando a seleção de alelos de resistência. Pretende-se também identificar marcadores moleculares associados à resistência parasitária após genotipagem dos ovinos em chip de alta densidade (GWAS), além de avaliar os principais genes diferencialmente expressos (RNAseq) entre extremos de infecção parasitária, para identificação e seleção de animais resistentes. A validação e disponibilização futura de um TST reduziria custos com anti-helmínticos, resíduos de medicamentos na carne e menor disseminação de genes que conferem resistência aos anti-helmínticos, com consequente aumento do seu tempo de uso. Assim, por meio da disponibilização de ferramentas práticas e confiáveis de controle parasitário, espera-se incentivar pecuaristas na criação de ovinos da raça Morada Nova no estado de São Paulo. (AU)