Busca avançada
Ano de início
Entree

Saúde mental na adversidade: um estudo etnográfico sobre a experiência da saúde mental precária nas favelas de São Paulo

Processo: 19/17397-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de janeiro de 2020 - 31 de dezembro de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Psiquiatria
Convênio/Acordo: King's College London
Pesquisador responsável:Laura Helena Silveira Guerra de Andrade Burdmann
Beneficiário:Laura Helena Silveira Guerra de Andrade Burdmann
Pesq. responsável no exterior: Nikolas Rose
Instituição no exterior: King's College London, Inglaterra
Instituição-sede: Instituto de Psiquiatria Doutor Antonio Carlos Pacheco e Silva (IPq). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Camila Magalhães Silveira ; Erica Rosanna Siu ; Geilson Lima Santana Júnior ; Janir Coutinho Batista ; João Mauricio Castaldelli Maia ; Wang Yuan Pang
Assunto(s):Urbanização  Saúde mental  Epidemiologia 

Resumo

Saúde Mental na Adversidade: as favelas de Sapopemba - é um estudo etnográfico da experiência de saúde mental precária nas favelas de Sapopemba (um distrito altamente carente no sudeste do município de São Paulo, contendo cerca de 46 favelas) e sobre o papel do suporte profissional e de pares para aqueles que apresentam sofrimento mental. Isso faz parte de um programa de trabalho iniciado pelo professor Nikolas Rose, em 2013, para examinar a relação entre a vida urbana e a saúde mental. O projeto atual se baseia nisso, juntamente com o trabalho concluído na Fase I deste estudo, financiado pela FAPESP, cujo objetivo era fornecer uma plataforma para o desenvolvimento deste trabalho nas megacidades do Brasil, com foco em São Paulo. Esta segunda fase do projeto, baseia-se no nosso estudo piloto através de um trabalho etnográfico profundo e intensivo sobre a experiência daqueles que vivem na adversidade e que sofrem de transtorno mental, e sua relação com os serviços formais e informais. Conceitualmente, o projeto aprofundará nossa compreensão das formas pelas quais a adversidade social molda o sofrimento mental e os fatores que aumentam a vulnerabilidade ou apoiam a resiliência entre aqueles que vivem nas favelas. O objetivo é informar políticas para o desenvolvimento de práticas mais efetivas de profissionais e paraprofissionais de saúde mental nas favelas de São Paulo, e ajudar a desenvolver redes de apoio de pares para aqueles que apresentam sofrimento mental e que não estão em contato com serviços de saúde mental formais. (AU)