Busca avançada
Ano de início
Entree

Degeneração e desenvolvimento do sistema nervoso: o papel de processos epigenéticos

Processo: 19/17892-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de maio de 2020 - 30 de abril de 2022
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Citologia e Biologia Celular
Pesquisador responsável:Alexandre Hiroaki Kihara
Beneficiário:Alexandre Hiroaki Kihara
Instituição-sede: Centro de Matemática, Computação e Cognição (CMCC). Universidade Federal do ABC (UFABC). Ministério da Educação (Brasil). Santo André , SP, Brasil
Pesq. associados:Érika Reime Kinjo
Assunto(s):Biologia molecular  Neurodesenvolvimento  Retina  Medula espinhal  Traumatismos da medula espinal  Degeneração neural  DNA  MicroRNAs  Epigênese genética  Proteína potenciadora do homólogo 2 de zeste  Proteínas argonauta 

Resumo

A complexidade do sistema nervoso se materializa tanto em sua formação durante o desenvolvimento quanto nos processos relacionados com a neurodegeneração. Entre os fatores relevantes tanto na degeneração quanto no desenvolvimento estão os relacionados com a regulação epigenética. De fato, a regulação epigenética parece ser importante para a resposta tecidual em processos neurodegenerativos, incluindo a resposta inflamatória inicial. Por outro lado, durante o desenvolvimento, a disponibilização da informação genética por mecanismos que incluem a regulação por microRNAs, outro processo de regulação epigenética, parece ser fundamental para a determinação da diferenciação neuronal. Neste projeto estamos interessados em determinar aspectos relacionados com a regulação epigenética na degeneração e desenvolvimento do sistema nervoso. Especificamente, pretendemos avaliar o papel da enzima EZH2 durante a neurodegeneração medular após trauma mecânico, assim como o da proteína argonauta 2 (AGO2) na diferenciação neuronal que ocorre durante o desenvolvimento da retina. Para isso utilizaremos técnicas de biologia molecular e celular, além de registros eletrofisiológicos, testes comportamentais e modelagem computacional. É preciso ressaltar que as metodologias propostas são dominadas por nosso grupo, notadamente aquelas relacionadas com nossos estágios realizados em instituições de pesquisa ou desenvolvimento tecnológico, tais com Universidade da Flórida (2011), Plexon Neurotechnology (2011) e Cold Spring Harbor (2012). Nosso objetivo é determinar se o controle da atividade e expressão da enzima EZH2 poderia se tornar um alvo terapêutico para o tratamento de lesões medulares, assim como AGO2 para doenças degenerativas da retina que acometem principalmente subtipos neuronais especificos, como os bastonetes na retinose pigmentar, cones na degeneração macular relacionada à idade e células ganglionares no glaucoma. Esta proposta conta com o apoio da Dra. Jean X. Jiang (Harvard University / University of Texas Health Science Center, EUA), Stephanie M. Willerth (University of Victoria, Canadá), Florence E. Perrin (University of Montpellier, França), Sten Rüdiger (Humboldt University, Alemanha) e de grupos sediados na Universidade de São Paulo, UFMG e INPE, além de pós-doutorandos, e alunos de pós-graduação e graduação engajados com a presente proposta. É importante ressaltar que o apoio dado a esta proposta será fundamental para a continuidade de projetos ligados às bolsas FAPESP de pós-doutorado (17/18977-1), doutorado (16/17329-3), mestrado (17/26388-6, 18/06316-3 e 18/23775-1) e iniciação científica (18/19300-8). Finalmente, lembramos que diversos grupos de pesquisa de nossa instituição serão beneficiados com o atendimento desta proposta, uma vez que os laboratórios de pesquisa da UFABC são instalações multiusuários. (AU)