Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de uma plataforma de cultivo tridimensional baseada em células tumorais derivados de pacientes para o estabelecimento de um modelo de seleção personalizada de fármacos

Processo: 19/08478-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de julho de 2020 - 31 de março de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Análise Toxicológica
Pesquisador responsável:Robson Luis Ferraz do Amaral
Beneficiário:Robson Luis Ferraz do Amaral
Empresa:Living Out Laboratório de Testes Celulares In Vitro Ltda
CNAE: Atividades de serviços de complementação diagnóstica e terapêutica
Município: Ribeirão Preto
Pesq. associados:FERNANDA MARIS PERIA ; Kamilla Swiech Antonietto
Bolsa(s) vinculada(s):20/13598-5 - Estabelecimento de métodos para o cultivo de organoides tumorais derivados de pacientes., BP.TT
20/07094-4 - Desenvolvimento de uma plataforma de cultivo tridimensional baseada em células tumorais derivados de pacientes para o estabelecimento de um modelo de seleção personalizada de fármacos, BP.PIPE
Assunto(s):Oncologia  Fármacos  Quimioterápicos  Cultura de células  Células tumorais  Organoides  Alternativas ao uso de animais 

Resumo

O tratamento do câncer com quimioterápicos é uma abordagem dispendiosa e o paciente pode sofrer com efeitos colaterais de um tratamento que, após meses, demonstra-se ineficaz. Isso acontece porque cada paciente é único, com um perfil genético único, o que resulta em respostas diferentes aos tratamentos de referência. A prática da oncologia personalizada dedica-se em encontrar o tratamento mais apropriado para cada paciente de forma individual. A predição da resposta a um determinado tratamento baseado em dados do genoma do paciente ou de mutações pontuais do tumor abriram novos caminhos para que o oncologista pudesse decidir pelo melhor tratamento. No entanto, essas predições não necessariamente confirmam a eficácia da terapia além de serem insuficientes para indicar uma opção efetiva em pacientes com câncer avançado que falharam nos tratamentos de primeira, segunda e terceira linha. Nesse contexto, ensaios funcionais utilizando organoides tumorais derivadas de pacientes (PDOs) emergem como uma potencial plataforma individualizada de seleção de fármacos, em sinergia com os testes farmacogenômicos. Os PDOs são obtidos através do cultivo em sistemas tridimensionais (3D) de células tumorais isoladas de tecido de biópsia ou ressecção e são capazes de recapitular as características do tumor original do paciente. Portanto, a resposta dos PDOs aos fármacos testados pode possibilitar a dedução prévia de como o paciente irá responder aos tratamentos. O objetivo do presente projeto é desenvolver uma plataforma de cultivo de PDOs de tumores de pâncreas, colorretal e pulmão. Para isso, iremos selecionar um método eficiente de processamento das amostras de tecidos tumorais através de diferentes técnicas de dissociação e isolamento; estabelecer condições adequadas de cultivo 3D de PDOs utilizando meios de cultura e suplementos específicos para cada tipo de tumor e avaliar a aplicabilidade dos modelos gerados testando fármacos de referência. Espera-se ao final do projeto PIPE fase 1, a geração de modelos de PDOs (produto mínimo viável) para cada tipo de tumor que possam ser validados na fase 2. Uma vez validados os modelos, a empresa atuará na oferecimento de um serviço de seleção personalizado de fármacos para pacientes com câncer de pâncreas, colorretal e pulmão por meio de testes funcionais utilizando organoides de células tumorais do próprio paciente. Além dos dados moleculares provenientes do sequenciamento oferecido por outras empresas, o oncologista passará a contar também com informações prévias a respeito da resposta do tumor daquele paciente aos fármacos testados. Dessa forma, aumentam-se as chances do tratamento escolhido pelo oncologista ser eficaz para o paciente. A melhora da qualidade de vida dos pacientes a medida que eles vão sendo submetidos a seções de quimioterapia tem um valor intangível. Além disso, a maior eficiência no tratamento e menor tempo de internação do paciente resulta em uma economia considerável para os sistemas de saúde de um modo geral. Como consequência, maiores investimentos podem ser realizados em outros setores, trazendo um benefício não só para pacientes com câncer, mas para a população em geral. (AU)