Busca avançada
Ano de início
Entree

Evolução do parasitismo em três dimensões: filogenética, fenotípica e genômica

Processo: 19/10966-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2020 - 28 de fevereiro de 2022
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Animal
Pesquisador responsável:Tatiana Teixeira Torres
Beneficiário:Tatiana Teixeira Torres
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Patricia Jacqueline Thyssen
Assunto(s):Evolução molecular  Calliphoridae  Seleção natural  Miíase  Genômica comparativa 

Resumo

As espécies parasitas são modelos atrativos para o estudo da evolução do hábito de parasitismo e dos mecanismos moleculares subjacentes às mudanças adaptativas. A família Calliphoridae, por exemplo, constitui um desses modelos. Nela, diferentes espécies têm sido registradas alimentando-se de: tecidos vivos de hospedeiro vertebrado; tecidos vivos de hospedeiro invertebrado; detritos e material em decomposição; e sangue. Assim, levando em conta os hábitos alimentares de suas larvas, os califorídeos são classificados em: necro-saprófagos, que se alimentam de material em decomposição; ectoparasitas facultativos, as quais podem se alimentar de matéria orgânica morta (necrófagas) ou infestar tecidos necrosados de vertebrados vivos; e parasitas obrigatórios, que se alimentam somente dos tecidos vivos de hospedeiros. A origem e história evolutiva dos hábitos alimentares em Calliphoridae ainda são desconhecidos e pretendemos, neste projeto, estudar a diversidade de hábitos em três dimensões: (1) filogenética, buscando mapear as transições de hábito que ocorreram na família; (2) fenotípica, quantificando o nível de preferência por diferentes fontes alimentares e testando o efeito da seleção sobre o hábito alimentar e (3) genômica, buscando regiões sob seleção ou com associação ao hábito alimentar. (AU)