Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de fator de ajuste continuo para cálculo de ingestão de máteria seca de ovelha gestante e lactante.

Processo: 20/03371-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de junho de 2020 - 30 de novembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia
Pesquisador responsável:Sarita Bonagurio Gallo
Beneficiário:Sarita Bonagurio Gallo
Instituição-sede: Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos (FZEA). Universidade de São Paulo (USP). Pirassununga , SP, Brasil
Assunto(s):Ovinos  Modelos matemáticos 

Resumo

RESUMO: O consumo é um processo multifatorial que é influenciado pelo tipo de animal, ambiente fatores e características da dieta. Ovelhas, especialmente, têm hábitos alimentares específicos, com maior seleção de alimentos ingeridos em relação ao gado. Assim, equações preditivas para seca ingestão de matéria (DMI) deve ser constantemente revisada. O objetivo deste estudo foi combinar diferentes fatores de ajuste para desenvolver um fator de ajuste contínuo para prever a DMI de ovelhas grávidas, secas e em lactação. As equações avaliadas para ovelhas sem lactação é responsável pelo peso corporal metabólico e pelo ganho de peso, e a equação para ovelhas em lactação inclui a produção de leite e o seu teor de gordura. O banco de dados utilizado neste estudo foi agrupado de ovelhas de ovelha, de dois a quatro anos, com alimentação controlada, durante a gravidez e fases fisiológicas da lactação. Para as previsões gerais (ovelhas gestantes e lactantes). A previsão de DMI ajustado teve maior precisão, mas menor precisão do que o DMI não ajustado predição. Entretanto, o ajuste do IMD aumentou a adequação da previsão como a média o erro quadrado da diferença de predição (”MSEP) diminuiu (p = 0,0328). Da mesma forma, para gestar o IMC previsto ajustado apresentou ”MSEP menor que o IMC previsto não ajustado (p <0,001). Para ovelhas em lactação, não foi detectada diferença entre o ajustado e o não ajustado DMI previsto com base nas estatísticas do ”MSEP (p = 0,3672), mas a suposição de que o pico leite foi de 28 dias (padrão) piorou a previsibilidade do IMC previsto ajustado, pois menor precisão e exatidão. Ajustes para o IMD previsto de ovelhas secas e lactantes são necessário aumentar a adequação e precisão (AU)