Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito do trabalho na linguagem corporal de cavalos de lida no Brasil

Processo: 20/00882-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de maio de 2020 - 31 de maio de 2020
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Ecologia dos Animais Domésticos e Etologia
Pesquisador responsável:Mateus José Rodrigues Paranhos da Costa
Beneficiário:Mateus José Rodrigues Paranhos da Costa
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal , SP, Brasil
Assunto(s):Bem-estar do animal  Comportamento 

Resumo

As respostas dos cavalos ao exercício são comumente monitoradas usando variáveis fisiológicas, no entanto, estados físicos e mentais também podem ser expressos através da linguagem corporal. Os objetivos deste estudo foram: (i) identificar como as expressões faciais e outras variáveis comportamentais mudam em cavalos de lida após um dia de trabalho; e (ii) investigar se essas alterações podem ser usadas como indicadores de cansaço físico, relacionando-as a conhecidas variáveis de aptidão física e carga de trabalho. Quatorze cavalos mestiços foram avaliados antes e depois da jornada de trabalho em duas fazendas, registrando-se as variáveis de linguagem corporal, fisiológicas e de carga de trabalho. A análise estatística consistiu em quatro etapas: (i) comparações entre os tempos de amostragem (pré e pós-jornada de trabalho) usando modelos lineares de efeitos mistos com medidas repetidas e um teste de Wilcoxon pareado; (ii) seleção das variáveis mais poderosas aplicando o teste de Kaiser-Meyer-Olkin e análises de componentes principais (PCA); (iii) avaliações dos relacionamentos nessas variáveis selecionadas utilizando os coeficientes de classificação PCA e Spearman; e (iv) identificar um nível crítico dos indicadores comportamentais mais robustos usando uma análise de cluster não hierárquica. Os resultados mostraram que, após um dia de trabalho, os cavalos aumentavam a frequência / duração de linguagem corporal indicativa de repouso. Eles também diminuíram a frequência / duração de linguagem corporais indicativas de atenção e movimentos para evitar moscas. No entanto, alguns desses comportamentos também são mostrados quando os cavalos estão com dor, o que nos leva a sugerir que alguns dos cavalos avaliados provavelmente estavam experimentando algum nível de cansaço e ligeira dor. De particular interesse, devido à facilidade com que pode ser avaliado na fazenda e generalizado para outras situações, sugerimos que a frequência do deslocamento de peso entre as pernas dianteiras possa ser usada como um indicador de cansaço físico em cavalos. Os resultados também podem ser usados no desenvolvimento de ferramentas para melhorar o bem-estar dos cavalos de lida, bem como dos cavalos usados em outras atividades, embora sejam necessárias mais pesquisas para validar essa suposição. (AU)