Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação dos mecanismos da ativação da hemostasia em COVID-19 e sua modulação por inibidores de bradicinina

Processo: 20/05985-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2020 - 30 de junho de 2022
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Erich Vinicius de Paula
Beneficiário:Erich Vinicius de Paula
Instituição-sede: Centro de Hematologia e Hemoterapia (HEMOCENTRO). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Pesq. associados:Fabio Trindade Maranhão Costa ; Fernanda Loureiro de Andrade Orsi ; Joyce Maria Annichino-Bizzacchi ; Licio Augusto Velloso
Vinculado ao auxílio:16/14172-6 - Investigação de aspectos fisiopatológicos e novas abordagens terapêuticas em doenças tromboembólicas, AP.TEM
Assunto(s):COVID-19  Infecções por Coronavirus  Coronavirus da síndrome respiratória aguda grave 2  Hemostasia  Inflamação  Disfunção endotelial  Imunotrombose  Antagonistas dos receptores da bradicinina  Pandemias 

Resumo

Formas graves da COVID-19 se caracterizam por intensa ativação da inflamação associada a aumento importante dos níveis de marcadores da ativação da hemostasia. Segundo o modelo teórico da imunotrombose, hemostasia e inflamação são elementos indissociáveis da resposta inata a patógenos. Segundo este modelo, quando regulada, a ativação da hemostasia contribui para a erradicação de patógenos; mas quando desregulada, pode levar a dano secundário, como por exemplo formação de trombos na microcirculação. Interessante destacar que a ativação da hemostasia durante a inflamação ocorre por vias distintas das ativadas como resposta à perda da continuidade da linha endotelial observada em sangramentos pós-traumáticos, e envolve elementos como a expressão de fator tecidual em monócitos e em micropartículas, a ativação da via intrínseca por DNA liberado das redes extracelulares de neutrófilos, entre outros. Além disso, a quebra da barreira endotelial, que também contribui para a resposta do hospedeiro a injúria ao mediar a diapedese, pode ser um mecanismo secundária de lesão, contribuindo para alterações na barreira alvéolo-capilar ou mesmo para a ativação da hemostasia. Neste projeto, avaliaremos um painel de parâmetros ligados à ativação da hemostasia e à regulação da integridade da barreira endotelial em pacientes com COVID-19 incluídos em um estudo clínico que avaliará o efeito de inibidores da bradicinina sobre o curso clínico desta doença. O painel será avaliado em diferentes momentos da evolução da doença (admissão, dias +4, +12 e +28), e a alocação por grupos permitirá conclusões sobre a evolução da doença em pacientes sobre tratamento de suporte, ou sob uso de inibidores de bradicinina, que têm o potencial de modular tanto a regulação da integridade da barreira endotelial, quanto o crosstalk entre a inflamação e a via intrínseca da coagulação. (AU)