Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo in vitro da ação de peptídeos sintéticos como antivirais contra CHIKV

Processo: 19/07784-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de junho de 2020 - 31 de maio de 2022
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Molecular e de Microorganismos
Pesquisador responsável:Marilia de Freitas Calmon
Beneficiário:Marilia de Freitas Calmon
Instituição-sede: Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (IBILCE). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São José do Rio Preto. São José do Rio Preto , SP, Brasil
Pesq. associados:Cintia Bittar Oliva ; Eduardo Maffud Cilli ; Paula Rahal
Assunto(s):Antivirais  Linhagem celular  Peptídeos  Virologia 

Resumo

O vírus Chikungunya (CHIKV) é um membro conhecido da família Togaviridae, gênero Alphavirus, que foi identificado pela primeira vez na África no ano de 1952. O CHIKV foi reportado em todo o mundo, incluindo a Índia, ilhas do Oceano Índico, sudeste da Ásia, Itália e Estados Unidos. Este vírus apresenta patogenicidade para humanos de todas as faixas etárias e ambos os sexos. A infecção por CHIKV leva ao início repentino de sintomas em pacientes como dor de cabeça, febre, dores musculares (mialgia), náusea, vômito e artralgia grave após um período de incubação de 2 a 4 dias. Esses sinais clínicos de infecção podem ser confundidos com os de outros arbovírus, como, por exemplo, o DENV. Como no caso de infecções por DENV, também não existe medicamento específico contra infecções por CHIKV. Um número de estratégias terapêuticas para combater o CHIKV vem sendo investigado para atingir diretamente o ciclo de replicação viral, incluindo estágios de entrada, síntese de proteínas, replicação do genoma ou funções enzimáticas. Os peptídeos antivirais que interagem com as partículas do vírus ou em algum alvo em etapas críticas de replicação viral do ciclo de vida podem potencialmente ser usados como tratamento ou profilaxia. O presente projeto tem como objetivo analisar a ação antiviral de peptídeos contra o vírus CHIKV. Os peptídeos que serão analisados neste projeto são peptídeos que visam inibir alguma etapa do ciclo de replicação do CHIKV. Acredita-se que os estudos in vitro destes peptídeos sintetizados irão auxiliar na busca de novos tratamentos antivirais seguros, com pouquíssimos efeitos colaterais para uma infecção viral que ainda não tem vacinas e que apresenta sintomas debilitantes para o indivíduo infectado. (AU)