Busca avançada
Ano de início
Entree

Processos de formação dos organossolos metanogênicos e reconstituição paleoambiental da turfeira da Campina do Encantado (Pariquera Açu-SP)

Processo: 19/26235-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de junho de 2020 - 31 de maio de 2022
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Ciência do Solo
Pesquisador responsável:Pablo Vidal Torrado
Beneficiário:Pablo Vidal Torrado
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Pesq. associados:Fernando Dini Andreote ; Ingrid Horák Terra ; Judith Schellekens ; Marcos Siqueira Neto ; Plínio Barbosa de Camargo
Assunto(s):Metano  Gênese do solo  Palinologia 

Resumo

Turfeiras são ecossistemas úmidos constituídos por Organossolos e que correspondem a apenas 3% da superfície terrestre, mas armazenam um terço do carbono de todos os solos. Globalmente, os Organossolos são importantes drenos de carbono formados ao longo do Holoceno e Pleistoceno Tardio. A estagnação hídrica, disponibilidade de nutrientes, pH e Eh e a composição florística da vegetação que dá origem à turfa são fatores que controlam a composição bem como a dinâmica dos microrganismos metanogênicos e a preservação de diversos proxies climáticos e ambientais. No entanto, tal mecanismo continua não completamente compreendido, sobretudo em relação aos Organossolos situados em ambientes tropicais, onde são escassos os relatos de turfeiras metanogênicas. O principal objetivo desse projeto é caracterizar e descrever os processos de formação e rotas de dióxido de carbono (CO2) e metano (CH4) em Organossolos de uma turfeira peculiar que demonstra produzir CH4 em quantidades anômalas e que está localizada no Parque Estadual Campina do Encantado, em Pariquera-Açu (SP). A técnica da pirólise acoplada à cromatografia de gases e espectrometria de massas (pirólise-CG/EM) será utilizada para caracterizar a composição da matéria orgânica (MO) de testemunhos de Organossolos com diferentes níveis de produção de CH4. A composição molecular da MO fornece uma impressão digital da composição e dos processos (passados) de decomposição da turfa que serão utilizados para avaliar suas relações causa-efeito com a metanogênese. Além disso, juntamente com a medição e a determinação da composição isotópica de CO2 e CH4, por meio da detecção e quantificação dos genes mcrA e pmoA, comuns aos metanogênicos e metanotróficos, respectivamente, será possível identificar os principais mecanismos responsáveis pela emissão desses gases. Turfeiras são excelentes arquivos ambientais e climáticos, e a história desta turfeira bem como o clima local-regional e até mesmo global, será reconstituída cruzando as informações moleculares da MO com os dados palinológicos e isotópicos de C. Espera-se aumentar a compreensão sobre a formação e degradação de turfeiras tropicais em ambientes próximos ao nível do mar, bem como seu papel no cenário atual de mudanças climáticas. (AU)