Busca avançada
Ano de início
Entree

Mudanças neuroquímicas e comportamentais em distintos modelos animais para estudo da doença de Alzheimer: efeito do tratamento crônico com extrato padronizado de Gingko biloba (EGb)

Processo: 19/24614-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de junho de 2020 - 31 de maio de 2022
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Neuropsicofarmacologia
Pesquisador responsável:Suzete Maria Cerutti
Beneficiário:Suzete Maria Cerutti
Instituição-sede: Instituto de Ciências Ambientais, Químicas e Farmacêuticas (ICAQF). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Diadema. Diadema , SP, Brasil
Pesq. associados:Andréa da Silva Torrão ; Carla Máximo Prado ; Janete Maria Cerutti ; Luciana Chagas Caperuto
Assunto(s):Doença de Alzheimer  Resistência à insulina 

Resumo

A doença de Alzheimer (DA) é a mais frequente entre as causas de demência associada ao envelhecimento, ocorrendo com maior prevalência em mulheres. eDentre os fatores associados á doença estão a alteração na função do transportador vesicular de acetilcolina (VAChT) no córtex pré-frontal (CPF) e na formação hipocampal (FH) de pacientes com DA. Outro fator de risco associado a DA é o prejuízo na sinalização da insulina nessas mesmas áreas encefálicas. Essas alterações resultam em mudanças na expressão CREB-1, NF-kB e BDNF, citocinas como a GSK3-²; PI3K/Akt, IL-1², IL-10 e ERK1/2 e de receptores Colinérgicos (N7 e M1);NMDA; 5HT1A e GABAA em neurônios e glia. Para entender melhor estas questões, este estudo propõe investigar os efeitos da redução da expressão de VAChT (Knockdown, KD) em camundongos ou da resistência à insulina, induzida pela injeção intracerebroventricular (icv) de estreptozotocina (STZ) em ratos, na formação de memória aversiva e não aversiva, de curto e de longo prazo e, se o tratamento crônico com o extrato padronizado de Ginkgo biloba (EGb) pode reduzir os prejuízos cognitivos da DA e modular os mecanismos celulares. Adicionalmente, avaliaremos os mesmos parâmetros no envelhecimento. No experimento I, serão utilizados camundongos fêmeas C57BL/6 (N3) das linhagens selvagem (WT) ou com deficiência de 45 % (VAChT KDHet ) ou 65% (VAChT KDHom. Os animais serão distribuídos em 2 grandes grupos [adultos (3-6 meses) e idosos (24 meses)]. Cada grupo será redistribuído em 18 subgrupos: i-iii) animais naive (KDHet, KDHom e WT; n=8/grupo); iv-vi) grupos veículo (salina 0,9%) (KDHet, KDHom e WT; n=8/grupo); vii- ix) grupos cloridrato de donepezila 5 mg/Kg (DPZ) (KDHet, KDHom e WT; n=8/grupo); x-xviii) grupos EGb nas doses 250, 500 ou 1000 mg/Kg (KDHet, KDHom e WT; n=8/grupo). Todos os animais, exceto naives, serão tratados por gavagem (v.o) com EGb, DPZ ou veículo durante 31 dias. Após o 24º de tratamento serão submetidos a aquisição e ao teste de retenção da memória aversiva avaliado na esquiva discriminativa no labirinto em cruz elevado (PM-DAT) onde serão avaliados os comportamentos relacionados a ansiedade, a motricidade espontânea e memória de curto prazo e de longo prazo. No 26º dia serão exposto à tarefa de reconhecimento de objetos para avaliar a memória de item (MRO) e de localização dos objetos (MLO). No 31º serão anestesiados e perfundidos com formaldeído 4% ou decapitados para retirada da FH e do CPF, que serão mantidas em freezer -80º para análise da expressão diferencial de proteínas destacadas acima por western blot e/ou imunohistoquímica. No experimento II, pretendemos avaliar se a resistência à insulina cerebral induz mudanças moleculares e comportamentais propostas acima e, se essas diferem com a idade do animal e/ou são moduladas pelo EGb. Serão utilizados ratos Wistar adultos 3 a 6 meses e de 12 meses (CEMIB, UNICAMP). Exceto o grupo naive, todos os grupos serão submetidos à cirurgia estereotáxica para injeção icv de STZ (3 mg/Kg) ou veículo (tampão citrato, TC). 72 horas após a cirurgia os animais serão tratados por v.o com o EGb, salina 0,9% ou DPZ, durante 14 dias. Os animais serão distribuídos em grupos, a saber: controles [TC icv + veículo, EGb (250, 500 ou 1,000 mg/Kg) ou DPZ 5 mg/Kg] ou submetidos a infusão de STZ (SZT icv + veículo, EGb (250, 500 ou 1,000 mg/Kg) ou DPZ] e serão avaliados nos mesmos testes descritos no experimento I, MRO-MLO (7 ao 11º dias) e PM-DAT (13-14º dias) de tratamento. Ao final dos testes serão perfundidos e/ou decapitados para análise da expressão diferencial das proteínas descritas no experimento I. Para a análise dos dados utilizaremos o teste ANOVA One-way ou Two-way, conforme o parâmetro avaliado seguido, quando necessário, do teste post hoc. (AU)