Busca avançada
Ano de início
Entree

Memorização de rotinas diárias por crianças com síndrome de down assistida por ambiente virtual ludico

Processo: 20/03314-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de maio de 2020 - 31 de outubro de 2020
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Biomédica
Pesquisador responsável:Marcia Aparecida Silva Bissaco
Beneficiário:Marcia Aparecida Silva Bissaco
Instituição-sede: Pró-Reitoria Acadêmica. Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Campus da Sede Mogi das Cruzes. Mogi das Cruzes , SP, Brasil
Assunto(s):Crianças  Memorização  Síndrome de Down 

Resumo

Uma criança com síndrome de Down, como qualquer outra criança, pode se beneficiar da interação com os estímulos da memória, mas precisa de apoio e ajuda adicionais. O uso de métodos especiais de ensino, que acrescentam diversão e uso do computador, pode melhorar os processos de memória dessas crianças. Neste trabalho, apresentamos o ambiente virtual "Nossa Vida", desenvolvido para auxiliar crianças com síndrome de Down a memorizar seqüências de ação de sua rotina diária. Um teste de memorização de rotina diária (DRMT), que consiste em um lembrete semanal de rotinas diárias típicas concluídas pelas crianças e pelos pais, foi realizado antes (pré-teste) e após (pós-teste) a intervenção. O trabalho envolvidoequipe multidisciplinar e avaliou a efetividade do teste realizado por 30 crianças comSíndrome de Down da APAE, uma escola de educação especial para crianças com deficiência intelectual em São Paulo, Brasil. As crianças foram separadas em dois grupos (Experimental - GE e Control - GC) com homogeneidade e normalidade dos dados. Duas hipóteses foram testadas neste estudo: H0 e H1, onde: H0 = Não há diferença estatística entre memorizar tarefas diárias entre indivíduos com síndrome de Down que usaram nosso ambiente virtual lúdico e aqueles que usaram o método de memória convencional.H1 = Existe um diferença entre o grupo de sujeitos com Síndrome de Down que utilizou nosso ambiente de jogo virtual e o grupo que não o utilizou em relação à memorização da tarefa diária. Isso produz t = -14,98 e p <0,0001, com H1 sendo aceito. Os resultados mostraram que o GE apresentou significância em relação ao GC e a média de evolução das crianças no GE foi 81,82% maior. Segundo especialistas (psicólogo e pedagogo) da APAE e dos pais, as atividades lúdicas implementadas nesse ambiente virtual têm sido de grande interesse para as crianças, que se divertiram, testaram hipóteses e as questionaram sobre as seqüências de ações realizadas em seu cotidiano. (AU)