Busca avançada
Ano de início
Entree

Padrões hemodinâmicos pulmonares em pacientes pediátricos com defeitos septais cardíacos congênitos: relação com mediadores inflamatórios e a presença não suspeitada de vírus respiratórios

Processo: 19/19289-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de maio de 2020 - 30 de abril de 2022
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Antonio Augusto Barbosa Lopes
Beneficiário:Antonio Augusto Barbosa Lopes
Instituição-sede: Instituto do Coração Professor Euryclides de Jesus Zerbini (INCOR). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Clarisse Martins Machado ; Claudia Regina Pinheiro Castro Grau ; Filomena Regina Barbosa Gomes Galas ; Kelly Cristina de Oliveira Abud ; Marlene Rabinovitch ; Nair Yukie Maeda
Assunto(s):Hipertensão pulmonar  Mediadores da inflamação  Cardiopatias congênitas 

Resumo

Nos defeitos septais cardíacos, ocorrem alterações hemodinâmicas na pequena circulação, caracterizadas por modificações de fluxo e pressão, acompanhadas de adaptações estruturais na árvore vascular pulmonar que vão desde hipertrofia de graus variados de células musculares lisas arteriolares, até lesões oclusivas graves. Esse quadro pode acarretar transtornos em vários momentos do tratamento de pacientes pediátricos, particularmente após a cirurgia cardíaca. Sabe-se que as alterações hemodinâmicas pré-operatórias não são o único fator a determinar a magnitude da resposta vascular pulmonar. Evidências atuais apontam para o papel patogênico de agentes biológicos (por exemplo, vírus) no remodelamento de vasos sistêmicos. Outros estudos apontam para a possível associação entre vírus e remodelamento vascular pulmonar. Mediadores inflamatórios expressos em decorrência desses patógenos, têm implicação direta em alterações celulares que levam ao remodelamento vascular. Entretanto, não há dados na literatura sobre a população pediátrica, sobretudo no contexto das cardiopatias congênitas. Verificações preliminares, em nosso grupo, mostram material genético viral em vias aéreas, nestas crianças, fora de estado infeccioso, restando investigar suas implicações. O objetivo deste estudo será verificar o comportamento hemodinâmico pulmonar pós-operatório comparativamente entre crianças portadoras e não portadoras de material genético viral em vias aéreas. Será investigada a possível associação entre a presença de genoma viral e modificações no perfil de proteínas inflamatórias potencialmente relacionadas a remodelamento vascular.Serão incluídos pacientes até a idade de três anos, com comunicações cardíacas amplas (não restritivas). As características hemodinâmicas pré-operatórias serão definidas por meio de ecocardiografia com Doppler. A pesquisa de vírus será feita em material de nasofaringe e traqueia com uso de imunofluorescência e reação de polimerase em cadeia ("real time PCR"). Mediadores inflamatórios (36 proteínas) serão analisados no soro mediante ensaio imunoenzimático. O comportamento hemodinâmico pulmonar e sistêmico pós-operatório será estudado por medidas diretas através de cateteres, com 30 determinações nas primeiras 72 horas após a cirurgia.Além das implicações fisiopatológicas, os resultados podem ter impacto critico na prevenção e manejo de complicações nesta população. (AU)