Busca avançada
Ano de início
Entree

Perfil funcional de linfócitos TCD4+ antigeno-específicos na resposta imune ao alérgeno Fosfolipase A1 do veneno de Polybia paulista

Resumo

O veneno de insetos pode causar reações alérgicas sistêmicas, incluindo anafilaxia. Melhorias no diagnóstico e nos protocolos de imunoterapia com veneno (VIT) são baseadas em uma melhor compreensão da resposta imunológica desencadeada aos alérgenos do veneno. Anteriormente, demonstramos que a fosfolipase A1 recombinante (rPoly p 1) do veneno da vespa Polybia paulista induz anticorpos IgE e IgG específicos em camundongos sensibilizados, os quais são capazes de reconhecer o alérgeno nativo. Neste trabalho, abordamos a resposta imune de células T de camundongos BALB/c sensibilizados com rPoly p 1. As culturas de esplenócitos foram estimuladas com extrato de veneno de Polybia paulista e a proliferação de células T CD8+ e CD4+, e a frequência de populações de células T reguladoras (Tregs) foram avaliadas por citometria de fluxo. As citocinas foram quantificadas em sobrenadantes da cultura de células por ensaios de ELISA. A estimulação in vitro de células T de camundongos sensibilizados induz uma proliferação significativa de células T CD4 +, mas não de células T CD8 +. O padrão de citocinas mostrou uma alta concentração de IFN-gama e IL-6, e não houve diferenças significativas na produção de IL-4, IL-1Beta e TGF-Beta1. Além disso, os animais sensibilizados com rPoly p 1 apresentaram uma expansão pronunciada de Tregs CD4+CD25+ FoxP3+ e CD4+CD25-FoxP3+. A sensibilização por rPoly p 1 induz um perfil Th1 / Treg nas células T CD4 +, sugerindo seu potencial uso na imunoterapia com veneno de vespa. (AU)