Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência da suplementação de melatonina associada a estratégias de controle de massa corporal (treinamento e/ou dieta) no sistema cardíaco de ratos obesos: estudo sobre as alterações na morte celular, estado redox, inflamação, autofagia e metabolismo

Processo: 19/02347-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de junho de 2020 - 31 de maio de 2022
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Pesquisador responsável:Rafael Herling Lambertucci
Beneficiário:Rafael Herling Lambertucci
Instituição-sede: Instituto de Saúde e Sociedade (ISS). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Baixada Santista. Santos , SP, Brasil
Pesq. associados:Cristiano Mendes da Silva
Assunto(s):Necrose  Cardiomegalia  Apoptose  Obesidade 

Resumo

O aumento alarmante da prevalência de obesidade tem sido um problema de saúde pública em todo o mundo. Sabidamente o estilo de vida contemporâneo tem contribuído para o crescente número de indivíduos obesos. Diversos estudos evidenciam haver uma relação direta entre o desenvolvimento da obesidade com o desenvolvimento de diversas comorbidades, dentre elas, a dislipidemia, hipertensão arterial, síndrome metabólica, diabetes mellitus, certos tipos de câncer e doenças cardiovasculares, sendo esta última, a principal causa de morte nos tempos atuais. Na verdade, as desordens metabólicas observadas na obesidade, apresentam evidencias multifatoriais que levam ao desenvolvimento de disfunção cardíaca. Sabidamente tais desordens estão relacionadas a uma inter-relação entre apoptose, necrose e autofagia, os quais podem ser diretamente modulados por vias de sinalização sensíveis ao estresse oxidativo. Sendo assim, o uso de compostos com propriedades antioxidantes, como a melatonina, pode ser uma forma fácil e efetiva para o tratamento do desenvolvimento e/ou progressão de diferentes condições patológicas. Adicionalmente, além da utilização de compostos com propriedades antioxidante e anti-inflamatórios, a prática regular de exercícios físicos também é reconhecida como um importante fator que pode contribuir significativamente no controle do peso e composição corporal, bem como modular diversos fatores associados ao desenvolvimento de comorbidades relacionadas à obesidade, em especial as doenças cardiovasculares. Existem inúmeras formas de exercício físico, no entanto, atualmente, estudos em animais e humanos tem observado benefícios adicionais do treinamento combinado, que inclui atividades aeróbias e de força. Fica evidente, portanto, que trabalhos que avaliem de forma detalhada a produção, ativação e integração de proteínas chaves envolvidas nos processos de apoptose, necrose e autofagia celular devem ser realizados, permitindo-nos compreender mais profundamente esse processo, para que se possa futuramente pensar no desenvolvimento de novas oportunidades terapêuticas as quais não eram possíveis de serem feitos em um passado recente. (AU)