Busca avançada
Ano de início
Entree

Amitriptilina no tratamento da dor neuropatica em pacientes afetados por doença de Hansen: Estudo controlado e aleatorizado.

Processo: 19/20951-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de junho de 2020 - 31 de maio de 2022
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Daniel Ciampi Araujo de Andrade
Beneficiário:Daniel Ciampi Araujo de Andrade
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados: Antonia Lilian de Lima Rodrigues ; Dejair Caitano do Nascimento ; Manoel Jacobsen Teixeira ; Ricardo Galhardoni ; Valquíria Aparecida da Silva
Assunto(s):Dor  Dor neuropática  Hanseníase  Neurologia 

Resumo

A Doença de Hansen (hanseníase-MH) é uma doença infecto-contagiosa causada pelo Mycobacterium leprae que tem o homem como hospedeiro principal. A MH, apesar de ter sua incidência em queda, ainda é uma importante causadora de morbidade em alguns países do mundo, sendo o Brasil um dos principais. Assim, 60% dos casos mundiais concentram-se em dois países: A India e o Brasil. Apesar de ser conhecida como uma patologia que cursa com diminuição da sensibili- dade, nos últimos anos, com seguimento mais completo dos pacientes com diagnóstico de hanseníase, percebeu-se que a dor acomete uma parcela grande dos pacientes pelo menos em algum momento da doença (Stump et al., 2004). Propomos neste estudo o uso de tramadol para todos os pacientes e acrescen- taremos a amitriptilina para um dos grupos, analisando portanto se a amitriptilina adicionará efeito analgésico aos pacientes que já estão sendo tratados para DNe. Desta maneira teremos segurança de que nenhum paciente ficará sem tratamento para dor e controle por placebo nos dirá quanto de efeito analgésico a amitriptilina adicionará. Objetivos:Avaliar a eficácia do uso de amitriptilina em dose flexível em doentes com dor neuropática relacionada a hanseníase controlado com placebo, em pacientes recebendo tratamento para dor neuropática com tramadol, através do número de respondedores (redução da intensidade da dor em 30% em relação ao basal) entre ambos grupos.Trata-se de um estudo multicentrico prospectivo, intervencionista, sobre grupos paralelos, randomizado, duplo-cego placebo controlado. O acompanhamento de cada paciente terá duração total de nove semanas. O estudo terá coleta de dados se extendendo por 24 meses. Por tratar-se de um estudo multicêntrico, a população do estudo sera constituída por pacientes com dor neupática recrutados no Hospital das Clinicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, em dois ambulatórios: Neurologia e Dermatologia. Também serão recrutados pacientes no Instituto Lauro Souza Lima, centro de referencia em tratamento de hanseníase da cidade de Bauru - SP. (AU)