Busca avançada
Ano de início
Entree

Geração de linhagens celulares utilizando o sistema CRISPR-Cas9: oportunidade de estudo de mecanismos de neurodegeneração em doenças raras e desenvolvimento de novos tratamentos com impacto para o sistema público de saúde

Processo: 19/15369-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2020 - 30 de junho de 2022
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Convênio/Acordo: CONFAP - Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa
Pesquisador responsável:Helena Bonciani Nader
Beneficiário:Helena Bonciani Nader
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados: Alexey V Pshezhetsky ; Gustavo Monteiro Viana ; Leny Toma ; Renan Pelluzzi Cavalheiro
Assunto(s):Doenças neurodegenerativas  Mucopolissacaridoses  Catepsinas  Glicosaminoglicanos  Biotecnologia  Peptídeos beta-amiloides 

Resumo

Dentre as doenças raras, as mucopolissacaridoses I e II (MPS I e II) são particularmente comuns nos estados de São Paulo e Rio Grande do Sul, sendo causadas por mutações em genes que codificam proteínas (enzimas) lisossômicas. Os tratamentos atualmente disponíveis não são curativos, sendo particularmente ineficientes para a prevenção dos sintomas neurológicos. Além disso, custam milhões de dólares anualmente, onerando o sistema público de saúde dos 2 estados. Portanto, o conhecimento da patogênese da doença neurológica nas MPS torna-se importante para o desenvolvimento de novos tratamentos, mais eficientes e baratos. Levando-se isso em conta, a presente proposta visa a utilizar a tecnologia de edição de genes por CRISPR-Cas9 para criar linhagens de neurônios com MPS. Será investigado nestas linhagens bem como no cérebro de modelos murinos com MPS I e MPS II, vias que possam estar alteradas e possam ser responsáveis pela doença neurológica observada nos pacientes, dando especial atenção à ativação da via amiloidogênica, pois nossos resultados preliminares sugerem que existe acúmulo de peptídeos beta-amiloide nos modelos animais de MPS. A criação das linhagens também permitirá que novos tratamentos sejam triados/ testados in vitro futuramente, acelerando o descobrimento de novas moléculas. A partir destes resultados, espera-se que esta tecnologia de edição de genes possa ser utilizada para desvendar a patogênese de doenças raras, bem como propiciar a pesquisa de novos tratamentos para uma série de condições em ambos estados. (AU)