Busca avançada
Ano de início
Entree

Decifrando concentrações anômalas de urânio em água subterrânea

Processo: 19/14631-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de abril de 2020 - 31 de março de 2022
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Geologia
Pesquisador responsável:Jacinta Enzweiler
Beneficiário:Jacinta Enzweiler
Instituição-sede: Instituto de Geociências (IG). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Pesq. associados:Ana Elisa Silva de Abreu ; Daniel Marcos Bonotto ; Sueli Yoshinaga Pereira
Assunto(s):Águas subterrâneas  Geoquímica  Hidrogeoquímica  Segurança hídrica  Urânio 

Resumo

Num aquífero, as reações água-rocha constituem a principal fonte de constituintes inorgânicos dissolvidos em águas subterrâneas. A composição da água reflete reações de dissolução, precipitação, sorção, troca iônica, oxirredução que dependem de condições físico-químicas e bióticas do meio. A concentração de U em águas naturais tende a ser baixa (< 1 µg/L) e valores mais elevados que 30 µg/L (limite superior provisório para a água potável) são incomuns. Em princípio, água com concentrações de U acima de valores regulados é inadequada para o abastecimento. A presença de U em fase aquosa sugere a mobilização deste elemento a partir de fases sólidas (minerais), o que requer condições redox favoráveis à oxidação de U(IV) a U(VI) e à manutenção deste na forma de complexos dissolvidos cuja natureza depende da composição do meio ou, ainda, associado a partículas coloidais estáveis. O objetivo desta pesquisa é entender os processos que originam concentrações de U em água subterrânea extraída a partir de poço tubular situado no campus da Unicamp (Distrito de Barão Geraldo, Campinas/SP), que sistematicamente superam em mais de duas vezes os valores regulados do elemento. Localmente há três aquíferos e o estudo incluirá a amostragem e análise química e isotópica de águas subterrâneas, rochas e de substrato rochoso a ser obtido por perfuração rotativa nas proximidade do poço para compreender a fonte do U dissolvido, que se supõe resultar de reações de dissolução, oxidação e complexação no(s) aquífero (s) local(is). Os parâmetros investigados serão a composição química das duas matrizes e dos minerais, bem como de dados isotópicos (´2H, ´18O, ´13C, 14C, 234U/238U e ´7Li nas águas) e, este último em minerais e rochas. Com os resultados da investigação se pretende realizar uma modelagem de transporte reativo para o aquífero e propor um modelo conceitual hidrológico e hidrogeoquímico da área de estudo. E com a compreensão dos processos envolvidos na mobilidade do U no aquífero se poderá propor um método de gestão e/ou remediação para a área e aplicar o conhecimento em outros aquíferos que apresentem anomalias de U em água subterrânea. (AU)