Busca avançada
Ano de início
Entree

Natureza e metabolismo urbano na reestruturação da produção do espaço no Brasil e no Chile

Processo: 19/13233-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2020 - 28 de fevereiro de 2022
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Planejamento Urbano e Regional - Fundamentos do Planejamento Urbano e Regional
Convênio/Acordo: Comisión Nacional de Investigación Científica y Tecnológica (CONICYT)
Pesquisador responsável:Luciana Nicolau Ferrara
Beneficiário:Luciana Nicolau Ferrara
Pesq. responsável no exterior: Rodrigo Alejandro Hidalgo Dattwyler
Instituição no exterior: Pontificia Universidad Católica de Chile, Chile
Instituição-sede: Centro de Engenharia, Modelagem e Ciências Sociais Aplicadas (CECS). Universidade Federal do ABC (UFABC). Ministério da Educação (Brasil). Santo André , SP, Brasil
Pesq. associados:Beatriz Tamaso Mioto ; Maria Beatriz Cruz Rufino ; Paulo Cesar Xavier Pereira
Assunto(s):Planejamento territorial urbano  Reestruturação imobiliária  Espoliação urbana  Conflitos ambientais  Financeirização  Globalização  Neoliberalismo  Brasil  Chile 

Resumo

O presente projeto de pesquisa objetiva compreender e analisar o processo de reestruturação imobiliária pelo qual têm passado as cidades brasileiras e chilenas, enfatizando as formas de apropriação da natureza incorporada aos novos produtos imobiliários, que reconfiguram setores urbanos. Os processos mencionados apresentam características excepcionais em ambos países, que podem ser descritas e analisadas a partir de categorias e conceitos teóricos comuns. Apesar de possuírem matrizes econômicas distintas, a industrialização no Brasil e o extrativismo no Chile, observa-se que o setor imobiliário tem centralizado capitais e as cidades passam a ser objetos de investimento. A hipótese elaborada é de que a reestruturação imobiliária tem alterado o uso e a exploração da natureza, sendo chave na transformação do metabolismo urbano, este último baseado nos fluxos de energia - e investimentos - com os quais as cidades se expandem horizontal e verticalmente.A questão do metabolismo urbano e a produção da natureza aparecem como eixos problematizadores no marco do capitalismo financeiro. Inicialmente, devido às condições de conforto que geram um hábitat em frentes de água, mas também, pelos meios através dos quais as cidades puderam gerar alternativas de negócios imobiliários significativos, ao mesmo tempo em que consolidavam a propriedade residencial. A natureza possui uma intensa carga de significados políticos, sociais e económicos que podem ser verificadas no estudo dessas localizações urbanas. Um dos propósitos da pesquisa é avançar na formulação teórica e articular o tema da produção imobiliária e da produção da natureza, temática ainda pouco desenvolvida, apesar da centralidade que a pauta ambiental tem assumido nas últimas décadas. Nas pesquisas sobre produção imobiliária, esse enfoque pode ser inovador, ao explicitar os problemas sociais e ambientais gerados. Nesse sentido, se buscará contribuir para novas abordagens urbanas e ambientais integradas, inclusive nas políticas públicas.A pesquisa empírica privilegiará fragmentos urbanos capazes de ilustrar como esses processos se manifestam nos dois países, considerando metodologias comuns. No Brasil, foram indicadas: i) a área de Operação Urbana Consorciada Água Espraiada e ii) Projeto de Intervenção Urbana Leopoldina, que estão localizados ao longo do Rio Pinheiros, em São Paulo. Nesses fragmentos, a reestruturação imobiliária se realiza sobre antigas áreas industriais, sustentada pela sofisticação de instrumentos de financiamento imobiliário e das infraestruturas em regiões valorizadas do território. Na periferia geográfica da metrópole, em áreas ambientalmente protegidas, serão considerados casos de produção de conjuntos habitacionais populares realizados pelo poder público, nas margens da represa Billings. No Chile, as beiras de água -marinhas, fluviais e lacustres- também encontram-se submetidos a grandes pressões imobiliárias. O Estado e o setor privado, em habitações subsidiadas ou em condomínios privados, começam a abrir nichos de renda atrativos para a expansão urbana, tanto na periferia como em áreas consolidadas. Distintos setores do território serão investigados: i) o setor de desfiladeiros na Grande Valparaíso, que se extende desde o setor de Playa Ancha até Reñaca Alto, na comuna de Viña del Mar, seguindo a linha das montanhas que envolvem a bahia projetada em frente ao Oceano Pacífico; ii) o projeto Ribera Sur do rio Mapocho, localizado à oeste da Grande Santiago; iii) o Parque Catrico na cidade de Valdivia, localizada Na Región de los Ríos. O setor de Catrico se caracteriza por estar circundado de zonas húmidas, agregando uma valorização paisagem sustentável aos projetos residenciais desenvolvidos no seu entorno. (AU)