Busca avançada
Ano de início
Entree

Filogenômica e filogeografia das formigas cortadeiras do gênero Atta Fabricius, 1804 (Formicidae: Attini) a partir de elementos ultraconservados e dados transcriptômicos

Resumo

As formigas saúvas (gênero Atta Fabricius, 1804) apresentam ampla distribuição geográfica e são os herbívoros dominantes na região Neotropical. Algumas espécies são importantes pragas agrícolas, com grande impacto econômico no Brasil. A delimitação morfológica entre as espécies de Atta é muito difícil, pois as operárias menores não apresentam caracteres morfológicos úteis à diferenciação das espécies. Essa é uma barreira importante aos estudos taxonômicos das saúvas, dificultando o reconhecimento das espécies no campo, incluindo as saúvas pragas. Alternativamente, os caracteres moleculares podem fornecer delimitações filogenéticas entre as espécies de saúvas, auxiliando a Taxonomia. Em 2009, nosso grupo de pesquisa esclareceu as principais relações filogenéticas dentro do gênero Atta, utilizando dados multilócus. Porém, não acessou todas as espécies ou abrangeu toda a distribuição geográfica de cada uma delas, de modo que a delimitação filogenética entre as espécies ficou incompleta. No presente projeto, nós propomos analisar todas as 15 espécies atualmente reconhecidas, abrangendo a completa área de ocorrência dessas formigas nas Américas e ampliar o número de amostras. Para tanto, serão estudadas amostras coletadas em campo, no âmbito do presente projeto, bem como aquelas conservadas em nove coleções entomológicas no Brasil e no exterior, para as quais procedimentos não destrutivos de obtenção de DNA serão utilizados. Para aumentar o número de caracteres estudados, os dados moleculares serão obtidos em grande quantidade, por meio do sequenciamento de Elementos Ultraconservados (UCE) e de transcriptomas. Com esta estratégia inovadora, pretende-se empreender uma revisão das relações evolutivas delimitando cada uma das espécies de Atta e caracterizar a biogeografia e filogeografia do gênero. Além disso, os dados transcriptômicos permitirão identificar um conjunto de alterações fenotípicas, ou seja, nas sequências codificadores de proteínas, subsidiando a especiação de diferentes grupos de formigas. O projeto conta com o importante apoio do pesquisador Christian Rabeling, da Arizona State University, que desenvolve marcadores UCE e coleciona espécies de Atta. Como um desdobramento deste projeto, espera-se desenvolver ferramentas para a revisão taxonômica do gênero, que subsidiem estudos futuros para o estabelecimento de limites morfológicos entre as espécies. Espera-se também entender algumas das alterações fenotípicas que subsidiaram a diversificação de subgêneros e espécies de formigas. (AU)