Busca avançada
Ano de início
Entree

Paisagens tafonômicas

Resumo

Pesquisar assembléias fósseis é um ato instigante, principalmente quando associadas a eventos excepcionais de deposição no registro geológico ou com excelente preservação. Estudos realizados sob a ótica da história tafonômica, principalmente fossildiagenética, oferecem a possibilidade de realizar pesquisas inovadoras e diferenciadas no campo da paleontologia brasileira. Assim, o objetivo deste projeto é estudar acumulações de bioclastos produzidos por eventos diferenciados que se desenvolveram em paleoclimas, ambientes e idades variados, com o objetivo de caracterização das assembleias, interpretação do paleoambiente e a sua influência na fossildiagênese. Para isso foram selecionadas unidades portadoras de assembleias fósseis diversas, como os icnofósseis da Formação Pacuja/Ipu, ou as assembleias preservadas de vertebrados (escamas, ossos, dentes e coprólitos) dos grupos Passa Dois (formações Irati e Corumbataí) e Bauru (formações Adamantina e Marília), além de incluir assembleias contendo microfósseis e vegetais, preservadas em nódulos e camadas de chert das formações Ponta Grossa (Devoniano) e Teresina (Permiano). No decorrer dos estudos serão realizadas campanhas de campo para caracterização das assembleias in situ, descrição geológica e coleta de amostras, além da inclusão de amostras previamente coletadas. A seguir, será realizado um estudo dos fósseis, incluindo as suas descrições macro e microscópica, petrografia e geoquímica com a utilização de técnicas diversas. Os resultados permitirão o conhecimento da biodiversidade, gênese, caracterização mineralógica, e fossildiagênese destas concentrações excepcionalmente ricas em fósseis, além de divulgar temas menos explorados da Paleontologia para o público em geral. (AU)