Busca avançada
Ano de início
Entree

Sobrevivência no limite: como gradientes ambientais podem limitar a distribuição geográfica de uma espécie de orquídea distribuída ao longo do litoral?

Processo: 20/02150-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2020 - 30 de junho de 2022
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Fitogeografia
Pesquisador responsável:Fábio Pinheiro
Beneficiário:Fábio Pinheiro
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Pesq. associados:Bárbara Simões Santos Leal ; Clarisse Palma da Silva ; Cleber Juliano Neves Chaves ; Giovanni Scopece ; Julia Sanchez Vilas
Assunto(s):Fluxo gênico  Biologia reprodutiva  Evolução  Especiação 

Resumo

Entender as causas dos limites de distribuição geográfica de espécies é uma questão fundamental em ecologia e evolução. Neste contexto, a hipótese de Centro-Periferia (HCP) pressupõe que populações marginais devem exibir uma série de diferenças ecológicas e evolutivas quando comparadas às populações centrais. Restrições como um baixo sucesso reprodutivo e menor potencial adaptativo são esperadas para populações periféricas, comprometendo a ocupação de habitats além de sua distribuição geográfica. Uma revisão sobre o tema apontou que apenas nove estudos testaram a HCP na América do Sul, restringindo nossa capacidade de compreender como espécies de regiões megadiversas tem sua distribuição geográfica moldada pelo ambiente. Neste sentido, o objetivo deste projeto é testar a HCP utilizando como modelo a espécie Epidendrum fulgens, uma orquídea encontrada ao longo do litoral brasileiro. Abordagens distintas, porém complementares, serão utilizadas para analisar populações centrais e periféricas de E. fulgens, numa tentativa de detectar diferenças ecológicas e evolutivas ao longo do gradiente ambiental ocupado pela espécie. Serão realizados: a) análise do sucesso reprodutivo e características funcionais ligadas a variação de temperatura e disponibilidade hídrica; b) análise de transcriptoma para detecção de genes sob seleção; c) quantificação do isolamento reprodutivo entre populações disjuntas que ocorrem em habitats distintos. Esperamos obter dados inéditos para a região Neotropical, que fortaleçam nossa capacidade de prever como gradientes ambientais podem afetar a distribuição de espécies em ambientes altamente diversos e vulneráveis às mudanças climáticas em curso. (AU)