Busca avançada
Ano de início
Entree

A Província Magmática Paraná: petrogênese, cronologia e impacto ambiental do magmatismo toleítico, alcalino e silícico Cretáceo na Plataforma Brasileira

Processo: 19/22084-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Temático
Vigência: 01 de julho de 2020 - 30 de junho de 2025
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Geologia
Pesquisador responsável:Valdecir de Assis Janasi
Beneficiário:Valdecir de Assis Janasi
Instituição-sede: Instituto de Geociências (IGC). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesquisadores principais:Excelso Ruberti ; Silvio Roberto Farias Vlach
Pesq. associados:Adriana Alves ; Alexandre França Velo ; Amélia João Fernandes ; André Pires Negrão ; Breno Leitão Waichel ; Carlos Henrique de Mesquita ; Celso de Barros Gomes ; Graham Pearson ; Daniele Giordano ; Edgardo Canón Tapia ; Eleonora Maria Gouvêa Vasconcellos ; Elisa Soares Rocha Barbosa ; Evandro Fernandes de Lima ; Fabio Ramos Dias de Andrade ; Fernanda Gervasoni ; Francisco de Assis Cavallaro ; Francisco de Assis Negri ; Gaston Eduardo Enrich Rojas ; Guilherme Mallmann ; João Francisco Trencher Martins ; Luana Moreira Florisbal ; Margarida Mizue Hamada ; Maria Helena Bezerra Maia de Hollanda ; Maria Irene Bartolomeu Raposo ; Maria Zélia Aguiar de Sousa ; Miguel Angelo Stipp Basei ; Pedro Augusto da Silva Rosa ; Pedro Filipe de Oliveira Cordeiro ; Rogério Guitarrari Azzone ; Ticiano José Saraiva dos Santos ; Urs Schaltegger ; Vidya Vieira de Almeida ; Vinicius Hector Abud Louro ; Yára Regina Marangoni
Assunto(s):Estratigrafia  Petrologia  Basalto  Rochas alcalinas  Rochas vulcânicas  Vulcanismo  Magmatismo  Cretáceo  Paraná  Brasil 

Resumo

A reativação da Plataforma Brasileira durante o Mesozoico influenciou fortemente a configuração geológica do sul e sudeste do Brasil, resultando na abertura do Atlântico Sul e na geração das bacias marginais que hospedam importantes volumes de depósitos de hidrocarbonetos.Uma das maiores manifestações desta reativação é o expressivo magmatismo de idade cretácea, registrado tanto nas bacias marginais como no continente, onde se expõem a segunda maior província basáltica continental em área do Planeta Terra (a Província Magmática Paraná), e uma das mais expressivas e diversificadas manifestações alcalinas conhecidas, margeando toda a Província, à qual se associam importantes depósitos minerais. Rochas vulcânicas silícicas (dacitos-riolitos) associadas, ainda que subordinadas volumetricamente, têm características singulares, que despertam o interesse da comunidade internacional, especialmente quanto a seus estilos eruptivos.Este projeto aprofunda a experiência acumulada nos últimos cinco anos, em que alguns dos grupos de pesquisa mais ativos no estudo do magmatismo Mesozoico do S-SE do Brasil, sediados em diversas Universidades e Institutos de Pesquisa, vêm trabalhando em associação para integrar estudos petrológicos, vulcanológicos e geocronológicos sobre a Província. São propostos dois focos principais, fortemente interligados. No estudo do vulcanismo, os principais objetivos são o estabelecimento de uma coluna estratigráfica integrada para toda a Província (com o reconhecimento de unidades estratigráficas formais), a determinação precisa da idade e duração do vulcanismo (através de geocronologia de alta precisão, pelos métodos U-Pb TIMS e Ar-Ar, e paleomagnetismo), a identificação dos estilos eruptivos do magmatismo silícico e basáltico (combinando levantamentos estruturais de campo e petrologia experimental) e a avaliação dos eventuais impactos ambientais (acrescentando aos estudos anteriores o estudo quantitativo do conteúdo e emissões de voláteis). No estudo do plutonismo associado, será enfatizada a petrogênese do magmatismo alcalino e toleítico, com a identificação das fontes mantélicas e sua zonalidade regional, e caracterização e quantificação dos processos de evolução crustal em sistemas fechados e abertos, e será refinada a geocronologia do magmatismo alcalino, que se estendeu por um período muito superior ao magmatismo toleítico, trazendo assim informação fundamental sobre eventos anteriores, contemporâneos e posteriores à abertura do Atlântico sul. (AU)