Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos terapêuticos e toxicológicos da imunoterapia com OncoTherad (MRB-CFI-1) em pacientes com câncer de bexiga não-músculo invasivo recidivado não responsivo à terapia com Bacillus Calmette-Guérin (BCG)

Processo: 20/03419-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2020 - 30 de junho de 2022
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Anatomia
Pesquisador responsável:Wagner José Fávaro
Beneficiário:Wagner José Fávaro
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Pesq. associados:Athanase Billis ; João Carlos Cardoso Alonso ; Nelson Eduardo Duran Caballero
Assunto(s):Urologia  Neoplasias da bexiga  Imunoterapia  Antineoplásicos  OncoTherad  Nanotecnologia 

Resumo

O câncer de bexiga urinária (CB) representa a segunda doença maligna mais comum do trato urinário, e uma das neoplasias que apresentam os maiores custos para o Sistema Único de Saúde. O tratamento primário do câncer de bexiga não-músculo invasivo (CBNMI) baseia-se no tratamento cirúrgico através da ressecção transuretral, seguido da imunoterapia intravesical com Bacillus Calmette-Guérin (BCG), para diminuição da recidiva e prevenção da progressão tumoral. Entretanto, a utilização do BCG está associada à efeitos colaterais de intensidades variadas, desde sintomas irritativos leves até reação sistêmica grave, o que contribui para a interrupção do tratamento além de apresentar um índice de recorrência pós-tratamento de até 30%. A opção cirúrgica, cistectomia parcial ou total, está frequentemente associada às altas taxas de morbidade e mortalidade. Além disso, para alguns pacientes, a cistectomia não constitui uma opção disponível devido à presença de comorbidades concomitantes. No Brasil, a fabricação e distribuição da vacina OncoBCG sofre com constantes interrupções. A falta da vacina OncoBCG pode causar impacto negativo no tratamento dos pacientes com câncer de bexiga. Assim, é de fundamental importância o desenvolvimento de novas modalidades terapêuticas que previnam a progressão da doença, permitam a preservação do órgão e a qualidade de vida dos pacientes e, finalmente, que forneçam uma opção para aqueles que são inelegíveis à cistectomia. Considerando a importância do desenvolvimento de fármacos que possam ser administrados por via intravesical e que atuem como moduladores do sistema imune, nosso grupo de pesquisa desenvolveu um composto sintético nanoestruturado com propriedades antitumorais e imunológicas, denominado MRB-CFI-1 (Modificador de Resposta Biológica - Complexo Fosfato Inorgânico 1), ou OncoTherad. Os estudos pré-clínicos e clínico-veterinários do nosso grupo demonstraram que no tratamento do CBNMI induzido quimicamente induzido em roedores e espontâneo em cães, os animais tratados com OncoTherad apresentaram significativa inibição da progressão tumoral em 70% - 80% dos casos. Ainda, nossos estudos demonstraram que a imunoterapia intravesical com OncoTherad levou à ativação distinta do sistema imune inato mediada por TLRs 2 e 4, resultando no aumento da via de sinalização para interferon, a qual está relacionada com a maior eficácia desse nanocomposto no tratamento do CBNMI em relação ao tratamento padrão com BCG. Assim, os objetivos principais desse projeto são avaliar os efeitos terapêuticos da imunoterapia com OncoTherad em pacientes com CBNMI recidivado não-responsivo ao tratamento com BCG, através das análises de resposta patológica completa, sobrevidas livres de recidiva e progressão, duração da resposta e tempo médio de recorrência da doença durante os 24 meses de seguimento. Ainda, esse projeto objetiva investigar os mecanismos celulares desencadeados por essa terapia, bem como seus possíveis efeitos tóxicos locais e sistêmicos. (AU)