Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de biogranulados funcionais para uso animal (pet)

Processo: 19/09012-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de agosto de 2020 - 31 de março de 2021
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Recursos Florestais e Engenharia Florestal - Tecnologia e Utilização de Produtos Florestais
Pesquisador responsável:Isabel Menezes de Bulhoes Gomes
Beneficiário:Isabel Menezes de Bulhoes Gomes
Empresa:Technological Solutions Integrated Ltda
CNAE: Fabricação de produtos de pastas celulósicas, papel, cartolina, papel-cartão e papelão ondulado não especificados anteriormente
Município: Piracicaba
Pesquisadores principais:Ademir Azevedo Marques
Pesq. associados: Murillo Romani Ferreira
Bolsa(s) vinculada(s):20/13112-5 - Desenvolvimento de biogranulados funcionais para uso animal (PET), BP.TT
Assunto(s):Reciclagem  Polpa de celulose  Fibras  Papel  Lodo  Animais domésticos  Gatos 

Resumo

O Brasil é o 2º maior produtor de polpa celulósica do mundo, atingindo 19,5 milhões de toneladas em 2017 e resultados preliminares apontam crescimento de 7,6% em 2018, com 21 milhões de toneladas, segundo a Indústria Brasileira de Árvores (IBÁ), que reúne os produtores de celulose, papel, painéis e pisos de madeira e florestas no país. Os processos de produção de polpa celulósica e papel se caracterizam por gerar perdas de aproximadamente 1% das fibras nos filtrados e efluentes do processo. Estas fibras são retiradas na fase inicial da etapa de tratamento de efluentes como forma de reduzir os níveis de demanda química e bioquímica de oxigênio, sendo removidas em filtros prensa e compõe o lodo primário; este material representa um problema de ordem ambiental para as indústrias de polpa celulósica que, por sua vez, têm buscado potenciais aplicações para este material, além da óbvia utilização na produção de papéis de baixa qualidade. A aplicação do lodo primário na produção de papel tem como principais complicadores o fato da fibra apresentar contaminantes que limitam seu processamento em máquinas de papel bem como o elevado teor de umidade, de aproximadamente 70%, que é uma restrição de ordem logística para transporte. Adicionalmente, o lodo primário para produção de papel compete em condição de inferioridade com aparas de papel para reciclagem. Todos estes aspectos fazem com que o lodo primário seja um problema ambiental expressivo para as unidades de produção de polpa celulósica e de papel. Considerando-se apenas as unidades de produção de polpa celulósica a geração de lodo primário no Brasil é da ordem de 195.000 toneladas por ano. A busca de usos não convencionais para materiais fibrosos e entre eles o lodo primário das indústrias de polpa celulósica é uma alternativa de ordem estratégica para os aspectos ambientais, de sustentabilidade e de economia circular que envolvem o segmento de papel e celulose no Brasil e no mundo. O uso do lodo primário para produção de grânulos com densidade aparente controlada, pode levar a obtenção de uma nova linha de produtos a partir da polpa celulósica para usos diversos, como por exemplo, a produção de biogranulados funcionais para uso higiênico na criação de animais domésticos (PET), com ênfase em felinos e roedores. Testes preliminares realizados pela TSI indicam este potencial. Assim, este projeto tem por objetivo definir as condições pré-operacionais de produção destes biogranulados funcionais, a partir de lodo primário da indústria de celulose, de aparas de papel e de polpa celulósica, bem como definir as características do produto. Segundo a ABINPET (Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação), a população brasileira de gatos domésticos é da ordem de 22 milhões de animais que consomem anualmente aproximadamente 1,35 milhões de toneladas de granulado higiênico ("areia de gato"), sendo a grande maioria de origem mineral (bentonita ou sílica). A produção deste material representa significativo impacto ambiental intrínseco às atividades de mineração e um problema de ordem ambiental nos centros urbanos, quando do descarte destes produtos após uso pelos animais domésticos. O desenvolvimento de um biogranulado higiênico para gatos tendo como matérias primas o lodo primário de unidades industriais de papel e celulose, e/ou aparas de papel para reciclagem e/ou polpa celulósica, representa uma solução inteligente tanto para o segmento de papel e celulose como para o segmento PET e se alinha as modernas e importantes tendências de sustentabilidade e circularidade. Palavras-Chave: biogranulados funcionais, sustentabilidade, economia circular, animais domésticos, granulado higiênico, reciclagem, lodo primário, criação de felinos e roedores. (AU)