Busca avançada
Ano de início
Entree

Máquina portátil de perfusão e desinfecção de rim para transplante

Processo: 19/23070-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de agosto de 2020 - 30 de abril de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Biofísica - Radiologia e Fotobiologia
Pesquisador responsável:Carolina de Paula Campos
Beneficiário:Carolina de Paula Campos
Empresa:Carolina de Paula Campos
CNAE: Atividades de atenção à saúde humana não especificadas anteriormente
Município: São Carlos
Pesq. associados:Cristina Kurachi ; José Dirceu Vollet Filho ; Natalia Mayumi Inada ; Vanderlei Salvador Bagnato
Bolsa(s) vinculada(s):20/10799-0 - Máquina portátil de perfusão e desinfecção de rim para transplante, BP.PIPE
Assunto(s):Desinfecção  Perfusão  Descontaminação  Raios ultravioleta  Rim  Transplantes 

Resumo

Atualmente, no Brasil, a maioria dos transplantes de rim é realizada com o órgão em armazenamento estático a frio (AE). No entanto, estudos mostram que a utilização de uma máquina de perfusão (MP), a qual promove a circulação de um fluido de preservação pelo órgão, melhora o resultado do transplante renal (TR), reduzindo complicações pós-transplante e custos. As MP utilizadas no Brasil são importadas pois não há empresa nacional que produza esse equipamento. Além disso, infecções transmitidas do doador para o receptor agravam a condição do paciente imunodeprimido gerando desconforto e despesas com tratamentos e hospitalização. O objetivo proposto para a Fase 1 do PIPE é acoplar um dispositivo de descontaminação de fluidos circulantes a uma máquina de perfusão portátil comercial e testá-lo para aplicação na descontaminação de solução de preservação de rim. O dispositivo atua por ação germicida através de fontes de luz ultravioleta C (UVC). Serão feitas adaptações no dispositivo e na máquina onde ele será incorporado, além de caracterizações dos parâmetros de irradiação a serem utilizados. Testes microbiológicos serão realizados para confirmação do efeito de descontaminação da solução de preservação de rim. Os protocolos de redução microbiológica serão definidos de forma a garantir a qualidade da solução de preservação. Dessa forma, testes de qualidade e de citotoxicidade em células de mamífero serão realizados com a solução de preservação após a irradiação. Ao final dessa fase, esperamos validar o princípio de descontaminação, com diminuição da carga microbiológica e mantendo a qualidade da solução de preservação de rim. Assim, na próxima fase trabalharemos no desenvolvimento do protótipo da máquina de perfusão e desinfecção (MPD) para transplante renal. Os benefícios já comprovados da máquina de perfusão para armazenamento de rins pra transplante, aliados à crescente política pública de incentivo à doação de órgãos e às evidências de melhor custo-efetividade em relação a outras terapias renais substitutivas indicam um mercado com grande potencial para o produto proposto neste projeto. (AU)